Atlético ameaçado de perder três pontos no Campeonato Brasileiro

José Carlos de Oliveira

A Federação Internacional de Futebol (Fifa) condenou o Atlético que está está ameaçado de perder pontos no Campeonato Brasileiro deste ano. O Alvinegro tem que pagar 1,8 milhão de euros, cerca de R$ 10,2 milhões, à Udinese, da Itália, pela compra do meia-atacante Maicosuel até o fim do mês, sob pena de ser punido com a perda de três pontos no Brasileirão 2020.

O clube adquiriu os direitos econômicos e federativos do jogador em 2014 e desde 2016 os italianos brigam na Fifa para receber o dinheiro a que têm direito. A Udinese abriu um processo na Fifa cobrando 4,5 milhões de euros pelas parcelas referentes às vendas do meia-atacante e do lateral esquerdo Douglas Santos, em 2015.

Agora, a batalha nos tribunais parece ter chegado ao capítulo final. O Galo foi condenado em última instância e terá que efetuar o pagamento aos italianos até o fim de abril, sob pena de perder três pontos no próximo Brasileirão. 

Pede prazo

O presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, afirma que não há qualquer risco de o clube vir a ser punido com a perda de pontos. O dirigente garante que espera da Fifa a extensão do prazo por pelo menos seis meses, em consequência da paralisação do futebol por causa da pandemia da Covid-19.

Sette Câmara afirma que o Atlético tem o dinheiro em caixa para saldar a dívida, mas quer usar os recursos para honrar compromissos com funcionários e jogadores quando o clube não tem outras fontes de receita neste período sem jogos.

— Posso tranquilizar que o dinheiro para pagar a Fifa está separado. O que na verdade estamos tentando, junto à Fifa, é que ela nos dê um prazo de seis meses para pagamento dessa dívida, que também não foi na minha gestão, mas uma dívida de gestões anteriores que temos que assumir e pagar — revela o dirigente. 

Outros processos

O Atlético ainda tem outras questões na entidade máxima do futebol para resolver, como cobrança do Vélez em "mais valia" das transferências do atacante Lucas Pratto para o São Paulo e para o River Plate, e valores em aberto com o Junior Barranquilla pela compra de Yimmi Chará em 2018 (3 milhões de dólares); além de uma ação menos preocupante de ressarcimento do Banfield pela ida de Cazares ao Galo. 

 

Comentários
×