Até que enfim

Precisou a situação chegar ao extremo — um vereador xingar seu companheiro de palavras de baixo calão; outro passar mal e negar o socorro do colega, que é médico, por causa de uma discussão; e dois, ainda, serem hospitalizados — para que a Mesa Diretora da Câmara tomasse providências sobre a atuação de alguns vereadores. O Agora mostrou várias vezes tais comportamentos, como ameaçar, intimidar, gritar, berrar, não ter domínio sobre políticas públicas, adotados por alguns vereadores há um tempo. As condutas são vistas e ouvidas, praticamente desde que esta legislatura foi empossada. O atual mandato, aliás, vai entrar para a história de Divinópolis. Mas, não de forma positiva, e sim vexatória, pois foi o do vexame, do teatro, do circo, do picadeiro. Alguns parlamentares deram exemplo de como não legislar, e também de como ser eleito e não representar o povo.

E precisou acontecer tanta coisa para que, enfim, uma atitude fosse tomada. A imprensa precisou ser atacada de diversas maneiras. Os cidadãos também foram. Profissionais em exercício da função também entraram na conta da “imunidade parlamentar”. Sim! É atrás dela que muitos se escondiam para suas práticas nada recomendáveis. Invocavam o artigo 39 do Regimento Interno, e se sentiam os donos do mundo. Atacavam quem eles bem entendessem. Não aceitam críticas ou questionamentos, colocavam suas capas de “Artigo 39” e saíam por aí como se não houvesse amanhã. Como se não tivessem a obrigação de respeitar os seus pares, a imprensa e os cidadãos. Apenas saíam por aí com suas fúrias e verdades, sem se importar sequer com o povo que estavam representando.

Mas, até que enfim decidiram tomar uma atitude. Finalmente foi percebido que esta legislatura é sinônimo de vexame e decidiu colocar um fim em comportamentos que levavam o nome da Câmara para a lama. E, talvez, esta atitude, aos 45 minutos do segundo tempo, quando o fim desta legislatura se aproxima, salve o pouco de dignidade que resta a alguns e ao Legislativo. Pode ser que com Corregedoria, Código de Ética, e cidadãos com o poder de representar contra os vereadores, adotem uma conduta que condiz com a função a qual foram eleitos para exercer. Quem sabe esta pequena atitude possa ser a ponta de esperança, a luz no fim do túnel, para que Divinópolis volte para os trilhos do desenvolvimento. Afinal, se os vereadores não perdessem tanto tempo gravando vídeo falando mal do prefeito, atacando um ao outro ou atacando a imprensa, a cidade não estivesse no buraco como está agora.

Seguimos confiantes de que este possa ser o primeiro passo rumo à mudança, a pontinha de esperança que precisávamos para acreditar que dias melhores virão. E, também, que esta atitude da Mesa Diretora possa ser o que os vereadores precisam para que, enfim, comecem a exercer a função para a qual foram eleitos: a de representar um povo.

Comentários
×