Assistidos do Helena Antipoff desenvolvem habilidades manuais em oficinas de tapeçaria

Da Redação

Os assistidos do Instituto Helena Antipoff (IHA), além dos atendimentos com especialistas, possuem à disposição uma série de atividades para ajudar no desenvolvimento e ampliar o desenvolvimento de seus potenciais. Um exemplo são as oficinas de artesanato, que trabalham com a produção manual de objetos, como tapetes.

As atividades são conduzidas pelas educadoras sociais Lidiane Ramos e Vera Lúcia. Como um dos valores do instituto, as produções reaproveitam materiais recicláveis. Nas tapeçarias, a sustentabilidade também é um dos princípios.
 
— O único material usado são retalhos de malha reciclados que recebemos de doação — explica Lidiane.
 
Autonomia
 
A educadora social também explica que todo o processo de produção é manual.
 
— Eu faço o corte das tiras e os assistido tecem o tapete no tear de pregos, tudo manualmente — detalha.
 
O exercício ajuda os assistidos a desenvolverem, por exemplo, sua coordenação motora, independência e concentração.
 
— Em questão da dificuldade, sim, ela é bastante difícil e requer bastante atenção, mas depois com a prática se torna mais fácil — finaliza.
 
Importância
 
O presidente do IHA, Juliano Vilela, destacou que, para além dos atendimentos, o desenvolvimento dos assistidos através de atividades manuais é uma das metas da instituição.
 
— Uma das prioridades traçadas pela diretoria do instituto é a valorização dos assistidos de práticas como os artesanatos e as oficinas, que contribuem para o bem-estar e desenvolvimento deles — destacou o presidente.
Comentários
×