Assistidos contam evolução na Luta Antimanicomial

Da Redação

A Prefeitura de Divinópolis realizou um ato simbólico para celebrar o Dia da Luta Antimanicomial no Centro Administrativo. O evento foi realizado na manhã de terça-feira, 18, quando os assistidos contaram a evolução nos atendimentos na rede municipal. Uma exposição também foi aberta no hall de entrada e ficará disponível até 21 de maio.

O ato simbólico contou com depoimentos dos assistidos nos serviços de saúde mental do município.

— No espaço tem regras e um profissional qualificado para ajudar no tratamento com medicação. Ajuda no meu processo evolutivo — destacou Guilherme Henrique Tavares Alves Toledo, assistido há 8 anos pelo Serviço de Referência em Saúde Mental (Sersam).

Outro assistido, Carlos Tabaré, contou sua história após entrar na Residência Terapêutica.

— Eu era fumante e bebia, parei depois que foi para a Residência Terapêutica. Fui bem recebido e me deixaram ficar na casa. Lá tem grandes profissionais — destacou.

O prefeito de Divinópolis, Gleidson Azevedo, afirmou que sua gestão é cuidar de pessoas e, em especial, quem precisa de cuidados com a saúde.

— Minha gestão é voltada para cuidar das pessoas e cuidar delas é a nossa missão e dever. Vamos melhorar ainda mais esse atendimento — afirmou.

A vice-prefeita, Janete Aparecida, ressaltou a importância da Luta Antimanicomial para vencer o preconceito. 

— Esta é uma questão que ainda tem muito preconceito. É um tratamento que precisa ser realizado para que essas pessoas possam viver em sociedade. O trabalho da nossa rede é brilhante e tem empenho de todos os profissionais — disse.

O secretário municipal de Saúde, Alan Rodrigo Silva e a secretária municipal de Assistência Social, Juliana Coelho, também participaram do evento. Em Divinópolis, a Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) tem o Serviço de Referência em Saúde Mental (Sersam). Dentre estes serviços, destacam-se o Centro de Atenção Psicossocial III, o Centro de Atenção Psicossocial infanto-juvenil, o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras drogas (CAPS AD III) e o Serviço Residencial Terapêutico.

Comentários
×