Assassinatos no 1º trimestre em Divinópolis superam mesmo período de 2017

 

Gisele Souto 

Uma tentativa de homicídio ainda cedo da noite do último domingo em um local movimentado no bairro Bom Pastor, retrata a realidade da criminalidade, especialmente os homicídios e tentativas registrados em Divinópolis nos últimos dias. Somente nas duas últimas semanas foram cinco assassinatos, todos com indícios de execução. As pessoas assassinadas são todas do sexo masculino, quatro com idades entre 20 e 40 anos e uma com mais de 50. Foram 14 assassinatos nos três primeiros meses de 2018 e 13 no mesmo período de 2017, segundo estatística da Polícia Civil.

Tráfico de drogas 

As causas para os assassinatos se divergem, porém  levantamentos feitos pela Polícia Militar (PM), apontam que estes homicídios tem como origem o tráfico e uso de drogas. O mesmo é ratificado pelo comando regional da Polícia Civil. Como foram cinco assassinatos em duas semanas e bem próximos um do outro, é especulada a ligação entre eles. Mas o comandante do 23º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Rodrigo Teixeira Coimbra, diz que há a necessidade de investigação, o que está a cargo da Polícia Civil.  O delegado regional da PC, Leonardo Pio, disse que as apurações estão em andamento.

Sobre as áreas consideradas mais perigosas e requerem uma atenção especial dos militares, o comandante Rodrigo explica que a PM realiza uma análise criminal e destaca as chamadas zonas quentes de criminalidade, locais que recebem reforço no policiamento, seja pela companhia responsável pelo policiamento ou pela Companhia Tático Móvel do 23ª BPM.

Redução 

Divinópolis fechou 2017 com 1.964 crimes contabilizados. No período que compreende 1º de janeiro a 21 de março do ano passado, foram registradas 639 ocorrências contra 385 neste ano, queda de 39,7%, segundo a Polícia Militar.  Quando se trata de das cinco cidades subordinadas ao 23º BPM, Itaúna, Itatiaiuçu, São Gonçalo do Pará e Carmo do Cajuru, incluindo os números de Divinópolis, são 2.753 contra 552, redução de 37,1%

Quando questionado sobre medidas para se reduzir o índice de crimes, o comandante Rodrigo foi enfático.

— A redução efetiva já vem acontecendo. Estamos reduzindo crimes violentos em cima de números que já apresentavam redução em 2017 — resumiu.

Prevenção 

A PC, por meio do delegado regional Leonardo Pio revela que a comando da região tem intensificado em especial as investigações, tendo em vista o reforço da equipe da Delegacia de Homicídios para que haja mais celeridades na solução destes crimes.

— Estamos em diálogo com a Polícia Militar naquilo que compete a ela no trabalho preventivo e também com outros órgãos como Ministério Público e outros, além de poderes do Município, discutindo projetos a médio e longo prazo — completa.

Ainda segundo o delegado, algumas iniciativas são levadas às escolas e às famílias, até mesmo intervenções urbanísticas visando à prevenção e qualificação da segurança pública na cidade.

Neste sentindo, a Polícia Militar também atua na prevenção. Um exemplo é o Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd) desenvolvido nas escolas estaduais e municipais de Divinópolis. Para se ter uma ideia da dimensão, em 2017 foram 50 unidades de ensino contempladas, com 2.665 alunos atendidos.

A investida contra as drogas consiste num esforço cooperativo estabelecido entre a Polícia Militar, a escola e a família, tendo como missão ensinar aos estudantes boas estratégias de tomada de decisão para ajudá-los a desenvolver habilidades que os permitam não serem seduzidos pelas drogas.

Investidas 

Outras ações destacadas pelo comando da PM são as operações. A do momento, a “Saturação”, é a principal delas. Realizada todos os dias, também à noite, concentra dentre os esforços operacionais, a operação presença, blitz de trânsito, corredores de segurança ostensivo e batida policial, tanto na zona urbana quanto na zona rural,

De acordo com o comandante da 7ª Região da Polícia Militar, coronel Marcelo Augusto Santos, as operações fazem parte de um conjunto de estratégias que estão sendo implantadas na região, tendo como base um trabalho forte de Inteligência de Segurança Pública, aliado a um planejamento detalhado e totalmente voltado à segurança da comunidade.

 

Comentários
×