As voltas que a vida dá

José Carlos Oliveira

O jovem atacante do Cruzeiro Zé Eduardo, que vive a expectativa de ser novamente olhado com carinho pela direção técnica da Raposa, viveu momentos distintos em sua curta trajetória no clube azul, indo do céu ao inferno, e vice-versa, em questão de dias e mesmo horas. Contratado pelo clube em 2019, depois de ter um bom desempenho no Visão Celeste, clube do Rio Grande do Norte, durante a disputa da Copa São Paulo, o atacante de 21 anos, que só jogou 12 minutos até aqui com a camisa da Raposa, viveu intensamente a turbulência dos bastidores do time estrelado, provando na pele as más decisões que são tomadas todos os dias pelos altos comandantes do clube estrelado.

Sonhos frustrados

Sua trajetória, em pouco mais de dois anos de Cruzeiro, é digna dos folhetins da Globo, que só servem para criar mais confusão na mente e assustar as pessoas que têm a coragem de sintonizar o canal. Contratado para a base, ele jogou pelo time sub-20 durante o ano de 2019, sendo posteriormente emprestado ao Villa Nova, de Nova Lima, e ao América, do Rio Grande do Norte, no qual veio a se destacar, marcando muitos gols e chamando a atenção de todos.

Solução

Com o Cruzeiro indo de mal a pior na Série B do Campeonato Brasileiro do ano passado e vivendo uma carência de gols com seus atacantes, que pouco ou nada rendiam em campo, a diretoria foi buscá-lo no Rio Grande do Norte, na esperança de encontrar em casa a solução para o jejum de gols de seu ataque. O clube ainda teve que costurar um acordo com o time de Natal para conseguir sua volta a Minas Gerais. Mas nem tudo aconteceu como era esperado pelos diretores da Raposa.

Sem chances

Ele veio para solucionar o problema, mas não teve oportunidade com o técnico Luiz Felipe Scolari, que preferia apostar todas suas fichas nas figurinhas carimbadas de sempre. Com apenas 12 minutos em campo com a camisa estrelada, Zé Eduardo foi relegado a segundo plano e obrigado a treinar em separado dos demais jogadores, o que fez com que ele e seus representantes entrassem na Justiça contra o Cruzeiro.

Acordo

Agora, prestes a acontecer o julgamento na Justiça do Trabalho, a situação entre jogador e Raposa ganha novos capítulos. O jovem atacante pode enfim ter a chance mostrar seu valor com a camisa azul. Com a chegada de novo diretor de futebol, André Mazzuco, um acordo está sendo costurado entre as partes – com a promessa de ele ter chances para mostrar seu valor – e Zé Eduardo deve retirar a ação contra o clube para enfim mostrar em campo seu real valor.

Resta saber se agora realmente será assim, ou se será apenas mais um capítulo dessa novela de horror.

Vexame no Mundial

E o Palmeiras, hein, nem vice será… Engrossando o enredo dos vexames do futebol brasileiro em mundiais da Fifa, o Palmeiras foi derrotado pelo Tigres, do México, e está fora da decisão do mundial de clubes do Qatar, tendo que se contentar em disputar o terceiro lugar, a exemplo do que aconteceu pouco anos atrás com Atlético e Internacional, que também foram para a disputa do mundial sonhando alto, mas ficaram pelo caminho.

Faltou futebol

Cantado em verso e prosa por parte da mídia esportiva do país como um time dono de um grande elenco, capaz de fazer frente a grandes clubes do mundo, o Porco decepcionou e mostrou o quanto estão todos enganados com o futebol que é jogado pelas bandas de cá. Entrou em campo como favorito, mas foi engolido pelos mexicanos.

Triste de se ver

Difícil é a qualquer brasileiro que ama futebol constatar esta realidade: ver que num mundial o futebol do Brasil não passa de mero coadjuvante. No jogo de domingo, o Porco foi engolido pelos mexicanos e, se não fosse seu goleiro, teria saído de campo com uma derrota ainda maior. O 1 a 0 no placar ficou pequeno pelo futebol que o Palmeiras não jogou.

Rever conceitos

E é bom treinadores e dirigentes do futebol brasileiro tratarem de rever seus conceitos, porque se uma mudança radical não for feita para ontem, passarão anos, décadas mesmo, até que apareça um time brasileiro em condições de fazer frente a outra equipe, de qualquer parte do mundo, e novos vexames serão contabilizados nos anos futuros.

Comentários
×