As riquezas do conhecimento

Logosofia 

Convém recordar a diferença que existe entre quem sabe e quem ignora, colocados ambos ante qualquer circunstância em que se faça necessário tomar uma decisão ou optar por essa ou aquela conduta a seguir.

 

O primeiro aplaina as dificuldades, e o resultado feliz de sua intervenção não se faz esperar; o segundo multiplica os obstáculos e complica de tal forma a situação já crítica, que, seja qual for a atitude que adote, sempre será equivocada – salvo em casos excepcionais –, e as consequências tampouco se farão esperar. As vantagens, pois, de quem sabe sobre quem ignora são indiscutíveis e de um valor extraordinário.

 

É necessário que o homem, por exigência imperiosa de seu espírito e por sua condição de ente racional e inteligente, não seja estranho ao mundo que o rodeia, nem permaneça alheio às palpitações da vida que respira. Em resumo, necessita abastecer-se de conhecimentos para não fraquejar na árdua jornada que deve empreender e na não menos complicada obra que tem de realizar em si mesmo, se quiser alcançar e desfrutar os mais apreciados bens que a Criação, com sua maravilhosa natureza, põe à disposição de todo aquele que consiga se fazer credor de tão sublime prêmio.

 

As riquezas do conhecimento são tão incalculáveis, tão inesgotáveis, que as maiores fortunas econômicas não poderiam ser comparadas em valor a elas. As fortunas materiais podem ser gastas e se extinguirem, as do conhecimento são eternas.

 

O saber protege a pessoa contra os males da adversidade e estende essa proteção a todos os que se colocam ao amparo de quem o possui. O conhecimento outorga ao homem os dons que a ignorância lhe nega, e convém não esquecer quão inconveniente é a postura daquele que, por ignorância, se põe a negar ou afirmar temerariamente, sem a menor reflexão.

 

Ao vermos essa juventude que protesta contra as exigências da disciplina e do estudo, não podemos senão experimentar uma sincera angústia com o só pensar em quão infeliz será seu futuro, ao enfrentar a realidade da vida, caso se veja sem as defesas necessárias que o estudo constrói para afastar os insucessos que haverá de sofrer como resultado das primeiras incursões no mundo, sem a experiência ou o conhecimento devido e indispensável.

 

A importância do conhecimento na vida do homem é, pois, indiscutível. Quem não se dispuser a conquistar as sublimes luzes do verdadeiro saber não terá direito algum de se queixar de seu futuro sombrio, porque a ninguém está vedado alcançar os inestimáveis frutos do conhecimento. (Por Carlos Bernardo González Pecotche (Raumsol) – Trecho extraído de artigo da Coletânea da Revista Logosofia, Tomo 3, p. 67.)

 

Para saber mais sobre este assunto, procure a Fundação Logosófica em Prol da Superação Humana, uma instituição particular de utilidade pública, com finalidades exclusivamente educacionais e culturais, que oferece cursos gratuitos sobre a logosofia.

 

O conteúdo de toda a sua programação baseia-se na logosofia, sempre voltados para a superação mental, psicológica e espiritual do ser humano.

 

Foi instituída em 1930 por Carlos Bernardo González Pecotche, criador da logosofia, em Córdoba (Argentina), e começou suas atividades no Brasil cinco anos depois. Em Divinópolis, sua sede cultural fica na rua Santa Catarina, 1767, bairro Sidil. Telefone (37) 3222-0390. Horário de atendimento aos interessados em curso de logosofia, de segunda a sexta feira, das 13h às 21h, aos sábados, entre 8h e 12h.

 

Mais informações: www.logosofia.org.br  e mg-divinopolis@logosofia.org.br.

Comentários
×