As Mil e uma Noites e o poder da palavra feminina

Jorge Guimarães

O fim de semana vai ser de workshop e debates com a contadora de histórias Gislayne Matos realiza neste sábado, 10, e domingo, 11, na Casa Arte e Cultura, o workshop: “As Mil e uma Noites e o poder da palavra feminina”.

No primeiro momento, o trabalho é de um profundo estudo da obra que influenciou fortemente o mundo da arte, o que inclui grandes nomes da pintura e literatura como, por exemplo, Paul Klee, Klint, Gabriel García Márquez, Voltaire, dentre outros. Além disso, os participantes vão ter a influência da heroína Sherazade, que contribuiu fortemente para a “revolução das saias”.

No segundo momento, o foco é sobre a estratégia educativa e terapêutica da palavra de Sherazade. Abordando dialeticamente sete temas da existência humana: morte e imortalidade; amor carnal e amor místico; maravilhoso e feitiçaria; prazer e sofrimento dos sentidos; viagens e prisões; verdades e mentiras; sabedoria e humor.

Ela conclui o processo de cura de um sultão sanguinário. O poder de sua palavra foi a única arma contra o poder sultão. Ao final d’As Mil e Uma Noites ele havia se transformado em um rei justo, homem sensível, marido dedicado, amante ardente, poeta e filósofo. Quanto a ela, ganhou, assim, o direito de viver até o final de seus dias ao lado desse novo homem.

Contar histórias

Atualmente, as histórias têm ocupado um lugar importante e são trabalhadas de maneira específica pelos chamados contadores de histórias. Trabalho este que requer pesquisa, estudos e muita dedicação.

No Brasil, alguns nomes recebem destaque por terem iniciado este ofício no início dos anos 90. Gislayne Matos é um deles. O trabalho ganhou notoriedade por ser grande referência e influência neste campo.

Gislayne Matos é contadora de história e formadora de novos contadores. Ela é idealizadora dos projetos “Convivendo com Arte” e “Noite de Contos” que aconteceu por mais de dez anos no Palácio das Artes, em Belo Horizonte.

A contadora possui também uma obra considerável de livros publicados com conteúdos da área, como “A palavra do Contador de Histórias”, “O ofício do Contador de Histórias”, “Storytelling: contando histórias nas empresas” e seu mais recente lançamento “Do bobo da Corte ao Marqueteiro”, um convite ao riso e à reflexão sobre o poder e as governanças.

Produção

Mariana Bernardes, que também é contadora de história, está na organização e produção do evento. Para inscrições, os contatos são: (37) 9 9128 3135, @_contecomigo ou ainda pelo e-mail marianacomhistorias@gmail.com.

Para a realização deste trabalho, Mariana contou com o apoio do Grupo Encontro — Contadores de Histórias, do qual também é integrante, com a Casa Arte e Cultura, Boutique do Livro e Juvenal Bernardes.

Horários

Neste sábado os horários são 8h às 11h30 e 13h às 18h e no domingo de 8h às 11h30.

Comentários
×