As lambanças da FMF

José Carlos de Oliveira

Nem bem começou a disputa do Campeonato Mineiro 2020 e os dirigentes da Federação Mineira de Futebol (FMF) já colocam as mangas de fora e demonstram sua preferência por alguns clubes que disputam o torneio, deixando claro que não estão nem aí para os demais filiados.

Deixar o Cruzeiro iniciar uma viagem já sabendo das condições do tempo nas Minas Gerais, com as fortes chuvas que poderiam inviabilizar o duelo contra o Tombense, foi, sim, o fim da picada. Não há explicação para a tomada de decisão (sobre o adiamento) apenas no dia de jogo, fazendo o elenco azul passar horas dentro de um ônibus, para nada.

Desculpas esfarrapadas

O remendo foi ainda pior. Depois de confirmar o adiamento do jogo poucas horas antes do início marcado, o diretor de competição da FMF, Leonardo Barbosa, ainda dá entrevista tentando se justificar, como se isso fosse possível, afirmando que não poderiam ser abertos precedentes para possíveis reivindicações de adiamento de partidas no futuro.

Ora bolas, que precedentes seriam estes, “mané”? Nem sempre vão se repetir os imprevistos do fim de semana e, além do mais, todos nós estamos cientes de tudo que aconteceu nas Minas Gerais nos últimos dias, com o excesso de chuvas prejudicando o estado e até causando vítimas fatais.

Deixar a delegação estrelada começar a viagem quando já tinham ciência das condições das estradas foi, sim, burrice e um ato indesculpável.

O TJD e o Villa Nova

Mas as lambanças dos dirigentes da Federação não pararam por aí, fizeram ainda pior no caso do confronto entre Villa Nova e América. Marcado inicialmente para o estádio Castor Cifuentes, em Nova Lima, o duelo foi transferido (apenas 24 horas antes do dia e horário marcados) para a Arena Independência, em Belo Horizonte, configurando-se aí a inversão de mando de campo.

Ora bolas, não é porque o Leão do Bonfim indicou o estádio do Horto como local de mandar alguns jogos em caso de impedimento do Alçapão do Bonfim que justamente o duelo contra o Coelho, dono do estádio, fosse transferido para lá. Fizeram foi pouco caso da inteligência dos demais.

Pior ainda

Mas se a FMF já dera mancada levando o jogo para o Horto, pior ainda foi a atuação dos auditores do Tribunal de Justiça Desportiva de Minas Gerais (TJD-MG) que, faltando menos de duas horas para a bola rolar, decidiram por bem conceder liminar ao clube de Nova Lima, suspendendo a realização da partida válida pela segunda rodada do estadual.

Filme repetido

E desta preferência dos “homis” do Tribunal de Justiça Desportiva das Minas Gerais pelo time de Nova Lima todos aqui de Divinópolis sabemos de cor e salteado, pois vimos de perto o Leão ser beneficiado em conflito com o Guarani, quando o Villa Nova escalou jogador irregular de forma vergonhosa no Mineiro do ano passado e acabou absolvido pelo tribunal.

Atlético mostra sua cara

E no duelo de domingo, 26, no Horto, contra o Tupynambás, o Galo, do técnico venezuelano Dudamel, finalmente mostrou sua nova cara e ao que veio para a temporada. Ainda é muito cedo para falar sobre as qualidades do time, mas pelo menos algumas coisas já ficaram claras. Agora a equipe alvinegra priorizará o toque e a posse de bola, com Jair e Allan dando o tom no meio campo.

Nova cara

E o time mostra algumas mudanças. O garoto Mailton vai brigar pela camisa 4 com Guga na lateral direita, e se Rever não reencontrar seu futebol será barrado do time, com a zaga titular passando a ter Gabriel e Igor Rabello.

É esperar para conferir os próximos capítulos.

Comentários
×