Articular

Preto no Branco 

Se candidatar, ir em busca de apoio e parcerias e à caça do eleitor. Porém, querer comandar a Prefeitura, especialmente de uma cidade do tamanho de Divinópolis, requer muito mais do pretendente ao cargo. Caso o candidato consiga o feito, muito mais que ganhar eleição, é preciso saber articular e, principalmente, lidar com a sociedade civil organizada. Para quem se acha e acredita que apenas o Executivo e o Legislativo bastam, saibam que, sem mais participações, a gestão está fadada ao fracasso. Imagine por aqui, onde nem mesmo a Câmara e a Prefeitura costumam se entender. Que os nove pretendentes à Prefeitura tenham isso em mente, mas que tenham, acima de tudo, a humildade de reconhecer que ninguém caminha sozinho e as críticas, opiniões e sugestões são necessárias. 

Negociar 

O jogo de cintura de articular levam às negociações, primordiais para o desenvolvimento dos municípios que se tornaram reféns de emendas de deputados e de outros recursos destinados por eles. É sabido que as prefeituras, por maiores que sejam, não são capazes de administrar com a sua própria arrecadação. Divinópolis é um exemplo de que mais de 70% do valor é destinado à folha de pagamento. É claro que o restante não dá para investir nem no principal gargalo das cidades brasileiras, que é a saúde. Neste sentido, o prefeito precisa, mais do que nunca, articular junto aos parlamentares (contando com a ajuda dos vereadores) para que estes consigam agir junto aos governos em prol da liberação de dinheiro para a cidade. Daí a importância da boa relação entre os poderes e a capacidade de articulação do gestor.

Por eles

E quem souber gerir desta maneira, com certeza, vai longe e consegue fazer uma boa administração. Isso porque o desenvolvimento local acontece a partir dos municípios. As pessoas não vivem em um país, em um estado. Todos moram nas cidades. E é nelas, primeiro, que a parceria política tem que acontecer, tendo como retorno o desenvolvimento. Por isso, entra a necessidade da parceria com a sociedade organizada. Assim, ações que visem ao despertar da população para o empreendedorismo, ao fortalecimento da economia local e à dinamização das vocações regionais precisam sempre estar entre as prioridades de um prefeito, que terá como recompensa o título de empreendedor. E precisa ter a consciência que a responsabilidade de fazer tudo acontecer é dele. Então vai a pergunta: estariam nossos candidatos à altura de ocupar este cargo tão importante neste tempo atual?

Bem comum 

As propagandas já começaram. Agora, é a sua vez, eleitor, de acompanhar a todos neste período e depois definir qual deles tem preparo e capacidade de impulsionar políticas de democracia participativa e de inclusão social. Lembrando que, para isso, precisa ter abertura ao novo cenário das cidades e do país, tendo todas as qualidades do administrador público que ocupa seu cargo para servir ao bem comum.

O que esperar?

De um bom prefeito se espera ter capacidade acumulada para dirigir o município e, entre elas, liderança política, bom conhecimento dos assuntos contemporâneos, experiência administrativa. Mas uma qualidade deste político é fundamental:  equilíbrio no enfrentamento de conflitos e crises. Esta qualidade poucos têm, ou melhor, quase nenhum. O resultado é falta de diálogo constante entre o Executivo e o Legislativo, que leva grandes danos à população. Neste quesito, Divinópolis pode servir de exemplo. E você, eleitor, já observou seu o seu pretenso candidato tem pelo menos parte destas qualidades?

Retroagiu 

Um exemplo de que a população (eleitor) é fundamental em todos os processos que ocorrem nos municípios é a pandemia  do novo coronavírus. A maioria das pessoas não caminha junto às gestões e os resultados são extremamente prejudiciais a ela mesma. Dentro deste contexto, muitas cidades tiveram que retroagir nos avanços da covid-19, por não colaborar com ações das prefeituras. Divinópolis, mais uma vez, está entre estes exemplos negativos. Após figurar na onda verde do programa Minas Consciente do governo do Estado, volta, a partir de hoje, para a amarela. Infelizmente, alguns estabelecimentos que já estavam funcionando vão fechar as portas novamente e outros precisarão restringir o funcionamento. Todas as determinações serão conhecidas hoje, com a publicação do decreto. Será que os divinopolitanos agora aprendem a lição? Prefiro acreditar que sim. 

Coment√°rios
×