Após três meses, CSSJD ainda não teve acesso a verba federal

Prefeitura, no entanto, alega que valor já foi disponibilizado para uso

Matheus Augusto

O Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD) aguarda, há quase três meses, a verba de R$ 2,2 milhões, destinados ao hospital pelo deputado federal Domingos Sávio (PSDB) através de emenda. O parlamentar anunciou, no dia 24 de junho, que o valor já estava depositado no Fundo Municipal de Saúde de Divinópolis. O CSSJD alega que até a última sexta-feira, às 16h, o montante ainda não estava na conta do hospital. Porém, segundo a Prefeitura, o dinheiro já está liberado e aguarda apenas a nota de recebimento do hospital.

Esforço

Do valor total, R$ 200 mil são destinados, exclusivamente, para o setor de nefrologia do hospital, responsável pela hemodiálise. Mas, assim como o complexo, a Associação dos Doentes Renais e Transplantados de Divinópolis e Região Centro-Oeste (Adortrans) ainda aguarda o recurso para que melhorias sejam implementadas no setor. A situação do recurso foi inclusive levantada na reunião da Câmara no último dia 17, quando o secretário da Comissão de Saúde, Meio Ambiente e Ciência da Câmara, Dr. Delano (MDB), pediu que a superintendente do CSSJD, Elis Regina Guimarães, explicasse a situação.

— A Adortrans está pedindo explicação dos R$ 200 mil que o deputado federal mandou para a entidade. Nós estamos pedindo também — cobrou.

O Complexo de Saúde explicou, em nota enviada ontem ao Agora, que o recurso ainda não foi liberado para uso.

— Conforme consulta ao Fundo Nacional de Saúde, na tarde de 17 de setembro de 2019, o valor de R$ 2,2 milhões destinados ao CSSJD, no qual está incluso o valor de R$ 200 mil, específicos para a Unidade de Nefrologia, já foi disponibilizado pelo excelentíssimo deputado. Entretanto, ainda está depositado em conta vinculada ao Fundo Municipal de Saúde, aguardando liberação para o Complexo de Saúde — explicou.

Em informação atualizada, o CSSJD informou que, até as 16h da última sexta-feira, 20, o recurso ainda não estava disponível. Ontem, também não constava no sistema, o valor repassado.

Apesar de ainda aguardar a autorização para uso do valor, o hospital informou que está, com recursos próprios, investindo na melhoria no setor de nefrologia, com o objetivo de oferecer mais conforto aos pacientes.

— Foram adquiridas 16 novas máquinas de hemodiálise entre junho de 2018 e janeiro de 2019, no valor total de R$ 755 mil. Estamos ainda em processo de substituição de todo o mobiliário das salas de hemodiálise. Foram investidos mais de R$ 51 mil com a compra de 23 poltronas e 50 puffs baús (dez das poltronas já estão disponíveis para uso e outras 13 estão previstas para chegar até 26 de setembro). Houve ainda a aquisição de novos ares-condicionados, que têm previsão de chegada para hoje, quando, então, iniciará a instalação — detalhou.

Toda a documentação comprovando a compra dos equipamentos foi apresentada ao Agora.

A instituição ainda informou que, uma vez liberado o recurso do deputado Domingos Sávio, novos investimentos poderão ser feitos.

— Com a disponibilização do valor em questão (R$ 200 mil) o Complexo de Saúde São João de Deus seguirá também promovendo melhorias na estrutura física do setor, realizando a manutenção em suas dependências como recepção, corredores e salas de hemodiálise, respeitando um fluxo que não venha a comprometer a qualidade dos serviços prestados — destacou.

Normalmente

O setor de hemodiálise do CSSJD foi visitado na última sexta-feira por agentes da Vigilância Sanitária (Visa) da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa). O presidente da Adortrans, Maldo de Oliveira, confirmou a informação no mesmo dia ao Agora, explicando que os agentes, inclusive, colheram amostras do local para análise. Segundo ele, apesar da necessidade de melhorias, é fundamental que o setor não seja interditado, mesmo que temporariamente, tendo em vista que o tratamento é crucial para os pacientes.

Porém, segundo informou o CSSJD, não há essa possibilidade.

— Essa visita não teve objetivo em momento algum de fechar e/ou paralisar o serviço. Desta forma, todos os procedimentos e sessões de hemodiálise estão ocorrendo normalmente, sem prejuízos para os nossos pacientes, conforme pode ser comprovado na data de hoje [ontem] — informou.

A Prefeitura também confirmou que não há a possibilidade de suspensão do serviço de hemodiálise oferecido pelo hospital.

— A Vigilância em Saúde não solicitou a interdição dos serviços de hemodiálise do São João de Deus. Solicitou, sim, em vistoria de rotina realizada, a aplicação de melhorias em algumas das atividades realizadas na unidade, estabelecendo prazos para tal, conforme determinação legal, período esse ainda em vigência — explicou.

Periódica

O complexo hospitalar também esclareceu que as visitas como as feitas na última sexta-feira são rotineiras e fazem parte do processo de melhoria no atendimento aos pacientes.

— O CSSJD esclarece que a visita da Vigilância Sanitária na Unidade de Nefrologia teve por objetivo inspecionar o relatório que já havia sido encaminhado ao hospital. A Visa Municipal está em vistoria rotineira em todo o hospital já há dois meses. Está fazendo seu papel de sempre ajudar os estabelecimentos de saúde a aprimorar seus serviços. São profissionais competentes, que entendem de legislação e de processos. Sempre contribuem muito com o CSSJD. Estamos sempre em parceria — ressaltou.

Ainda segundo a instituição, as vistorias auxiliam o CSSJD no estabelecimento de quais reformulações e adequações são, prioritariamente, necessárias.

— Recentemente o mesmo órgão realizou uma vistoria nas dependências também da hemodiálise do complexo de saúde a nosso pedido, pois estão sendo feitas propostas de melhorias para o serviço pelo próprio complexo, e verificou que este está com todos os processos assistenciais em conformidade com a Resolução da Diretoria Colegiada – RDC 11, que regulamenta os serviços de diálise. Porém, o órgão ajudou muito com sugestões para as melhorias propostas e todas foram acatadas e inseridas no projeto de reformas — contou.

Segundo a Prefeitura, a visita na semana passada se deu em razão de denúncias feitas à Semusa. A fiscalização foi acionada e algumas medidas foram tomadas para garantir a segurança dos pacientes.

— Porém, a partir de denúncias feitas à Secretaria Municipal de Saúde, imediatamente a fiscalização retornou ao local na tarde/noite da sexta-feira, 20 de setembro. Na nova vistoria, ficou constatado o registro de encaminhamentos de pacientes para internação em decorrência de quadros de pirogenia, como medida preventiva. Os agentes de Saúde também determinaram, preventivamente, a suspensão do uso de algumas máquinas, sugerindo, como alternativa ao grande número de pacientes que dependem do serviço, a implementação imediata de um quarto turno de trabalho. De acordo com os fiscais, foi determinada ao hospital a adoção dos protocolos necessários em casos de qualquer suspeita, que prevêem um rígido acompanhamento de todas as ações realizadas — explicou.

O Executivo também informou que acompanhará se as recomendações estão sendo acatadas pelo hospital.

— O trabalho de fiscalização pelo Município se dará de forma contínua, inclusive em relação às melhorias solicitadas durante as vistorias de rotina — esclareceu.

Em continuidade aos trabalhos, uma nova vistoria no setor de hemodiálise deve acontecer hoje.

Comentários
×