Após oito meses, onda verde está de volta em Divinópolis

Melhora do indicadores regionais e locais permitiu avanço, que não ocorria desde dezembro passado

Matheus Augusto

Divinópolis vive sua primeira semana de onda verde neste ano ‒ a última vez havia sido no fim de novembro. A melhora de indicadores possibilitou à cidade avançar para o último estágio de flexibilização. Conforme justificou a Prefeitura, a macrorregião teve sua pontuação reduzida de 13 para 10 pontos, e a micro, de 13 para 7. Diante do cenário, a Prefeitura publicou, na sexta-feira, 30, novo decreto atualizando as determinações, em vigor desde ontem. 

Eventos

Uma das principais mudanças é em relação a eventos de qualquer natureza, incluindo atividades religiosas, em espaços públicos ou privados ‒ salões de festa, sítios, chácaras, clubes e outros. Em ambientes fechados, o distanciamento mínimo obrigatório é de 1,5 metro. A ocupação máxima é de 50% da capacidade do local. Ao ar livre, não há limitação de pessoas. Os eventos podem durar até 12h e ocorrer em qualquer horário.

Para o controle do contágio em grandes eventos, o Minas Consciente orienta que, em atividades coletivas com mais de 600 pessoas, os frequentadores apresentem carteira de vacinação comprovando a vacinação completa contra covid-19 ou laudo médico ou exame PCR que comprove positividade para a doença entre 15 e 90 dias anteriores à data.

Os responsáveis pelo evento devem comunicar claramente aos participantes as regras de prevenção à covid-19 e os procedimentos de “devolução de ingressos, para facilitar a recusa de acesso aos sintomáticos”. 

O desrespeito às normas podem gerar, além de multa, a suspensão do alvará de funcionamento.

Anteriormente, na onda amarela, a permissão era de 30% do espaço com limite total de 300 pessoas em espaços fechados; ao ar livre, o contingente não podia ultrapassar 50% da área delimitada com máximo de 600 pessoas. Nesse estágio, as celebrações não podiam ultrapassar 6h de duração e apenas eram permitidas entre 7h e 23h

Comércio

Mesmo com a onda verde, continuam em vigor todas as medidas preventivas, como uso obrigatório de máscara, álcool em gel e o distanciamento social de, no mínimo, 1,5 metro. Os estabelecimentos comerciais devem manter o controle das filas e aferir a temperatura dos clientes, impedindo a entrada de possíveis pacientes sintomáticos da doença.

— A Prefeitura de Divinópolis lembra a todos que o avanço para a onda verde não significa que a pandemia acabou. Ela demonstra que as medidas preventivas implementadas pelo poder público, com apoio de vários segmentos da sociedade e da própria população, estão gerando resultados positivos — alerta o Executivo.

Transporte 

O transporte coletivo de passageiros poderá ter ocupação máxima de até 20 passageiros em pé, além do número de assentos. A desinfecção e higienização dos veículos utilizados para o serviço entre cada viagem deve ser mantida. A entrada de passageiros sem máscara de proteção facial não é permitida.

Denúncias

Caso tenha conhecimento de alguma irregularidade, o cidadão pode denunciar anonimamente por meio do WhatsApp da Vigilância Sanitária (37) 9.9111-0030 ou pelo App Divinópolis, abrindo um chamado, selecionando a aba “Coronavírus”.

— Toda sociedade deve ler integralmente o novo decreto para não descumprir alguma regulamentação — alerta o Executivo.

Mais vacinas

Conforme informou a Prefeitura, ontem foi retirada a 32ª remessa de vacinas contra covid-19. São: 1.224 doses de Pfizer e 1.910 de CoronaVac. Atualmente, o cadastro de vacinação permanece em nascidos em 1984 ou menos.

Estado

A Superintendência Regional de Saúde da Macrorregião Oeste, com sede em Divinópolis, explicou que a permissão para o avanço para a onda verde foi possível por mudanças no programa estadual.

— Destacamos que o Minas Consciente teve uma alteração no período de mudanças de ondas. Antes, para passar para a verde, era necessário permanecer por 28 dias na amarela, período este considerado para verificar se havia uma estabilidade de casos e internações. Agora, são 21 dias de permanência na onda amarela — destacou.

Sobre a melhora dos indicadores, a SRS Oeste citou, em especial, a queda das internações.

— Minas também registrou queda nos números de óbitos e de espera por leitos. A solicitação de internação pela doença caiu 29,59% na última semana em Minas Gerais. A taxa de positividade da doença também recuou em 21% em todo o estado — ressaltou.

 

Comentários
×