Após nova avaliação, Prefeitura mantém comércio fechado

Matheus Augusto

O cenário é o mesmo. Pessoas na ruas e filas de bancos e casas lotéricas lotadas. Com isso, o trabalho de fiscalização promovido pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), com o apoio das polícias Militar e Civil, continua. Como as pessoas não estão obrigadas a ficar em casa, a ação consiste na orientação dos cidadãos para que respeitem às normas de prevenção contra o coronavírus (Covid-19). Como anunciado, o Comitê Municipal de Prevenção e Enfrentamento ao Novo Coronavírus voltou a se reunir ontem para avaliar a possibilidade de reabertura do comércio. Os membros definiram pela manutenção das atuais medidas. 

Calamidade 

Divinópolis passa, a partir de hoje, para outro patamar: o de calamidade pública. O novo decreto, previsto para ser publicado hoje, mantém as decisões anteriores e reforça a importância do isolamento na cidade. Segundo o texto, a ação se faz diante da necessidade de manter a adoção de medidas contra a circulação de pessoas com o objetivo de evitar o crescimento exponencial do contágio, “com o risco de colapsar a estrutura hospitalar do município”.

— Ficam mantidas e ratificadas as medidas de combate à propagação da Covid-19, que, em cumprimento às deliberações do Comitê Extraordinário Estadual, foram estabelecidas no âmbito do Município de Divinópolis, permanecendo proibidas a realização de eventos e reuniões de qualquer natureza, de caráter público ou privado, incluídas excursões e cursos presenciais; e as  práticas comerciais abusivas, pelos produtores e fornecedores, em relação a bens ou serviços essenciais à saúde, à higiene e à alimentação, devendo os fornecedores e comerciantes limitar o quantitativo para a aquisição individual de produtos essenciais à saúde, à higiene e à alimentação de modo a evitar o esvaziamento do estoque desses produtos — determina o decreto.

Sobre o transporte coletivo, a determinação é para que a lotação intermunicipal não seja maior do que a metade da capacidade de passageiros sentados. 

O comitê também deliberou pela manutenção das atividades e empreendimentos, públicos ou privados, com aglomeração de pessoas, tais como: eventos públicos e privados de qualquer natureza, em locais fechados ou abertos; atividades em feiras; shopping centers e estabelecimentos situados em galerias ou centros comerciais; bares, restaurantes e lanchonetes; cinemas, clubes, academias de ginástica, boates, salões de festas, teatros, casas de espetáculos e clínicas de estética; e museus, bibliotecas e centros culturais.

Bares, restaurantes e lanchonetes, além da entrega em domicílio (delivery), podem continuar a oferecer a retirada do produto dentro do estabelecimento, desde que não haja consumo interno. As transações comerciais por meio de aplicativos, internet, telefone ou outras ferramentas, e as entregas em domicílio também podem ser realizadas pelos comerciantes.

As feiras de alimentos, tais como hortifrutigranjeiros, desde que observados critérios de rodízio, de modo a evitar aglomeração de pessoas e observar as regras sanitárias e epidemiológicas de enfrentamento da pandemia, estão autorizadas a funcionar. 

O acesso aos parques, praças e demais locais de lazer e recreação pública está proibido, bem como as visitas aos centros de convivência de idosos. 

Serão mantidos em funcionamento: os serviços de indústria de fármacos, farmácias e drogarias; fabricação, montagem e distribuição de materiais clínicos e hospitalares; hipermercados, supermercados, mercados, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, padarias, quitandas, centros de abastecimento de alimentos, lojas de conveniência, de água mineral e de alimentos para animais; produção, distribuição e comercialização de combustíveis e derivados;  distribuidoras de gás; oficinas mecânicas e borracharias; restaurantes em pontos ou postos de paradas nas rodovias; agências bancárias, casas lotéricas e agências dos Correios; cadeia industrial de alimentos; atividades agrossilvipastoris e agroindustriais; serviços relacionados à tecnologia da informação e de processamento de dados, tais como gestão, desenvolvimento, suporte e manutenção de hardware, software, hospedagem e conectividade; construção civil; setores industriais; lavanderias; assistência veterinária e pet shops;  transporte e entrega de cargas em geral; e serviço de call center.

Atualização

Divinópolis já contabiliza 29 casos confirmados e 927 notificações por coronavírus ‒ além de uma morte (uma mulher, de 46 anos, sem comorbidades). Os dados divulgados ontem pela Semusa também apontam para 11 pacientes internados no setor de enfermaria e outros nove no Centro de Terapia Intensiva (CTI) da rede hospitalar na cidade. A secretaria recomendou o isolamento domiciliar a 523 pessoas.

As faixas etárias mais afetadas são: entre 20 a 39 anos (416 notificações), 40 a 59 (237), acima de 60 (89), 1 a 4 (72), 10 a 19 (58), 5 a 9 (29) e menores de um ano (26).

O último boletim havia sido divulgado na quinta-feira, 9, oportunidade em que Divinópolis contava com 909 notificações e 26 confirmações. 

Segunda morte

O órgão municipal ainda investiga uma segunda morte que pode ter sido causada pela Covid-19. O homem, 46 anos, de acordo com a Prefeitura, era diabético e, ao chegar no Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD), apresentava problemas respiratórios. Após receberem a informação de um possível quadro sintomático para coronavírus, a Semusa suspendeu a realização do velório, na comunidade de Amadeu Lacerda ‒ o local foi posteriormente higienizado. A Semusa acompanha o quadro de saúde das pessoas que estiveram no ambiente. O CSSJD informou ter afastado os profissionais envolvidos no atendimento para isolamento.

Páscoa

Em razão do feriado, agentes de Saúde e policiais voltaram às ruas no último sábado, 11, para intensificar os trabalhos. Diversos estabelecimentos foram visitados e receberam a orientação sobre como controlar o fluxo de clientes e evitar o contato entre funcionários e consumidores. Os cidadãos também foram instruídos. Além disso, um carro de som destacava a importância do isolamento social e das pessoas saírem de casa apenas em caso de necessidade. 

Antes de acompanhar o trabalho realizado na véspera da Páscoa, o secretário de Saúde, Amarildo Sousa, voltou a reforçar a importância de impedir o avanço da doença na cidade.

— O isolamento social neste momento social é essencial. A fase que nós entramos agora é a de maior contágio — destacou.

Conforme informou a Prefeitura, a fiscalização continuará durante toda a semana para verificar o cumprimento dos decretos publicados até o momento. 

— Continuamos nas ruas com nossas equipes para chamar a atenção das pessoas sobre a necessidade do isolamento social. Queremos que a população e os comerciantes que, pela lei, podem funcionar, o façam dentro dos critérios técnicos estabelecidos, principalmente mantendo-se a distância de dois metros entre as pessoas e o uso obrigatório dos equipamentos de segurança — finalizou o secretário, em recado à população no sábado.

Estado

O Governo de Minas Gerais contabilizava, até ontem, 815 casos confirmados, 60.066 suspeitos e 23 mortes. As fatalidades foram registradas em: Belo Horizonte (seis); Juiz de Fora, Paraisópolis, Pouso Alegre e Uberlândia, dois cada; Divinópolis, Governador Valadares, Itabira, Mariana, Montes Claros, Ouro Fino, Patos de Minas, Uberaba e Varginha, um cada. 

Em entrevista na última semana, o secretário de Estado de Saúde (SES), Carlos Eduardo Amaral, declarou que o pico da doença deve ser na primeira semana de maio, uma vez que as projeções mostram uma desaceleração da transmissão.

— Nossa primeira projeção indicava possível demanda de 14 mil pessoas por internação, número que foi reduzido para nove mil e agora cinco mil, das quais duas mil necessitariam de leito de UTI. Isso é uma projeção matemática com o cenário do dia que ajuda na projeção para o futuro — declarou.

Conforme os dados da SES, o maior número de hospitalizações por síndrome respiratória aguda grave (quadro suspeito para coronavírus) foi registrado na semana epidemiológica 12, com 857 ocorrências. Desde então, as ocorrências caíram para 827 (semana 13), 527 (semana 14) e, na última semana, se limitaram a 137.

Comentários
×