Apesar de puxar emprego, comércio fica ainda no vermelho

Foram criadas na cidade 167 oportunidades de trabalho, resultado das 697 admissões menos as 530 demissões

Pablo Santos

O comércio divinopolitano teve um desempenho considerável e foi o setor com maior volume de vagas, de acordo com os dados do Ministério da Economia. Em outubro é de praxe o setor contratar funcionários para as vendas de Natal, melhor data para o comércio. Apesar do saldo positivo no mês passado, o segmento ainda continua no vermelho no acumulado do ano.

No mês passado, foram criadas na cidade 167 oportunidades de emprego, resultado das 697 admissões menos as 530 demissões. Dos cincos principais setor de contratação, o comércio foi destaque em outubro.

Dos 167 empregos com carteira assinadas, 150 são do comércio varejista e o restante do atacado, de acordo com o Ministério da Economia.

Apesar do saldo positivo em outubro, no acumulado do ano a situação é negativa.

Os números do Ministério da Economia apontam para 6.160 demissões e 5.864 contratações, representando corte de 296 oportunidades no comércio de janeiro a outubro.

No mesmo período do ano passado, foram 210 vagas fechadas e, em 2017, 37, apontou o Ministério da Economia.

Brasil

Em outubro do ano passado, a criação de empregos no Brasil foi puxada pelo segmento varejista, com a abertura de 36.732 postos formais. O comércio atacadista gerou 7.240 vagas. O campeão foi o comércio, com a criação de 43.972 oportunidades. Já os pequenos empresários do ramo do comércio foram os líderes da geração de emprego, sendo responsáveis pela criação de 32,5 mil novos postos, seguidos pelos empresários do setor de serviços, com a criação de 22,8 mil vagas de trabalho. Já os negócios relacionados à construção civil e à indústria de transformação geraram, respectivamente, 10,9 mil e 10,5 mil oportunidades. No acumulado do ano, o setor de serviços responde pela abertura de 408,8 mil postos, seguido pelo setor de construção, que criou 121,7 mil vagas no ano.

Comentários
×