Apelou...  ...perdeu

 

Não adianta vereador dar chilique, esbravejar, xingar e apelar. Se houve uma denúncia grave na Tribuna Livre feita por um vereador, a Comissão de Ética tem que investigar, sim. Afinal, esta é a função dela. Então não justifica sua existência. A acusação do vereador Matheus Costa (PPS) de intimidação precisa ser apurada. Ou vai ser mais uma engavetada? O eleitor quer e precisa saber o que o seu escolhido para representá-lo anda fazendo. Porque ainda tem muito político que acha que vive na era do coronelismo. Ainda bem que só acha.

Quem fala verdade...

...não merece castigo

Fala gritando, sim. Vivem gravando vídeos, sim. Usam palavras de baixo calão, sim. Acusam e apontam problemas sem apontar sugestões, sim. Batem boca em uma falta de decoro ridículo, sim. Gostam de aparecer, sim. Fazem teatro, sim, e pensam em 2020, sim. Agora, espero que nenhum dos nobres vereadores se sinta ofendido. Não se pode escrever uma opinião ou uma matéria que é um tal de reclamar de lá, de cá, pedir direito de resposta... Para estes políticos que querem ser lembrados só de forma positiva, vai um conselho: saia da vida pública. A partir do momento em que se assume um cargo público, a pessoa precisa estar preparada para receber críticas negativas e positivas. Me poupe!

Caiu como...

...uma luva. No momento em que este PB era escrito, o vereador Dr. Delano, o primeiro a se pronunciar na reunião na tarde de ontem praticamente ratificou o que falei acima. E foi além: afirmou que o Plenário não passa de um teatro e daqueles bem mequetrefes. Revelou, na verdade, o que todos estão cansados de ver e saber. Agora, “os arranca rabos” do plenarinho e depois o fingimento em público não eram tão escancarados. Mas, não surpreende. O restante é digno de roteiro de uma novela mexicana e que, sinceramente, não merece audiência. Para chegar perto dos folhetins brasileiros, que não são lá grandes coisas, ainda precisa melhorar muiiiiiito!

Não adianta...

...chorar o leite derramado. Mas, no Brasil, chora-se água suja, lama e até sangue. Resultado de autoridades que não têm um pingo de vergonha na cara e o mínimo de amor ao próximo. Embolsam o dinheiro que a população tira da boca para pagar os impostos mais caros do mundo, e devolvem em forma de catástrofes, doenças e extermínios diários com o aumento da criminalidade. Situações cotidianas e dramáticas que poderiam ser evitadas se houvesse prevenção. Como, quanto pior melhor, porque assim eles embolsam mais, sobra para quem? Para o povo.  Sempre ele.

Falta apoio...

...sobra violência. Uma execução em plena luz do dia, em um lugar problemático, é um exemplo da falta de prestígio e apoio do poder público com o trabalho preventivo e as causas sociais. Um jovem levou 15 tiros ao lado do pontilhão da linha férrea na praça Candidés. Até meados de novembro do ano passado, funcionou no espaço o projeto ‘Quero Viver’, o qual realizava várias ações junto aos dependentes químicos que frequentavam o local, especialmente os do “carrapateiro”. Durante três anos e meio, diversos foram orientados, alimentados, conduzidos de volta às suas casas e internados. E agora? Alô, poder público, só falta proibir ações sociais importantíssimas como esta, já que apoio já não tem mesmo.

Se não tem ninguém...

...fica mais fácil. Com a atuação do projeto, havia barracas e tendas instaladas e diversos de seus integrantes que, de forma voluntária, revezavam dia e noite. A simples presença de pessoas ininterruptamente com apoio da Polícia Militar (PM) inibia a presença de criminosos. Assim, o local ficou um bom tempo sem registrar crimes nem de pequeno porte. Vazia, há cerca de dois meses e meio, a praça voltou a apresentar problemas. Ressalta-se que o trabalho da PM sem o apoio do poder público é ineficaz. Os militares não conseguem estar em todos os lugares ao mesmo tempo. Destaca-se ainda o trabalho do pastor Wilson que, de forma brilhante, conduz este projeto. No entanto, milagre, só Jesus consegue fazer. Aqui na terra, somente as parcerias sólidas fazem a diferença.

 

 

 

 

Comentários
×