Antiga sede do fórum de Divinópolis abrigará outros órgãos estaduais

 

Gisele Souto  

Um ano após a inauguração da nova sede do Fórum, no bairro Liberdade, o antigo prédio na rua João Morato, Centro da cidade, será entregue no fim deste mês. Ele pertence ao Governo do Estado e estava cedido ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). O diretor do Foro, juiz Marcelo Salgado, confirmou à reportagem que o procedimento será mesmo no fim de maio. 

Antes mesmo da formalização de devolução ocorrer, cogitou-se várias instalações no local. Entre elas, os comandos das forças de segurança da cidade; as polícias Militar e Civil e Corpo de Bombeiros. O objetivo era colocar todos em um mesmo prédio, o que facilitaria a integração que já existe por meio da Região Integrada de Segurança Pública (Risp). Porém, como os Bombeiros ainda são Batalhão e ainda não existe data para que se torne comando regional, não houve a junção. 

Escola  

Outra possibilidade cogitada foi a transferência do Colégio Tiradentes da Polícia Militar (CTPM), já que as turmas crescem a cada ano e o espaço usado atualmente no 23º Batalhão PM precisa ser ampliado junto com as turmas. 2018 é o terceiro ano de funcionamento do colégio, que começou em 2016 apenas com turno matutino com alunos do 1º ao 5º ano. Agora, já oferece também o turno vespertino, com ampliação dos alunos até o 7º ano. Eram 6 turmas, agora são 11; 150 alunos e, atualmente, já são 270. Além das salas, foi necessária a aquisição de dois laboratórios, ciências e informática. 

No ano passado, chegou a ser feito pedido de liberação do imóvel junto à Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), porém, já no início deste ano, chegou-se a um consenso de que não será nem um nem outro. 

Órgãos do governo 

Agora, surgiu uma terceira possibilidade. O prédio pode ser utilizado pela Administração Fazendária (AF) e pela Advocacia Geral do Estado (AGE). Os dois órgãos atualmente funcionam em prédios alugados. 

A reportagem pediu informação à Secretaria de Estado da Fazenda (SEF) na manhã desta sexta-feira, mas, até o fechamento desta reportagem, por volta das 17h30, não havia respondido.   

 

Comentários
×