Ansiedade em tempos de Covid-19

Jomara Corgosinho 

Montei um grupo gratuito no WhatsApp para ajudar as pessoas....

Por que comecei esse texto falando isso? Porque foram muitas pessoas me chamando apavoradas com a situação. Ansiedade nas alturas, gerando medo e até sintomas físicos, como já sabemos que acontece.

Medo de perder o emprego, medo de se contaminar, medo de contaminação dos familiares, incertezas do futuro...

Mas o que é a ansiedade? 

Segundo o Manual de Classificação de Doenças Mentais (DSM), a ansiedade é um distúrbio caracterizado pela “preocupação excessiva ou expectativa apreensiva”, devido à antecipação de perigo ou de algo desconhecido. 

Além de desconforto mental, a ansiedade causa inquietação, fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração, tensão muscular, perturbação do sono e outras reações físicas nada agradáveis.

E o medo passa a ser então uma resposta emocional muito comum nesse momento. 

O que precisamos diferenciar aqui: existem níveis de ansiedade que vão desde um Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG), síndrome do pânico, fobia social, entre outros, até a ansiedade causada por momentos de apreensão. Ou seja, níveis de ansiedade patológicos e duradouros a níveis de ansiedade temporários devido a alguma situação estressante.

Como saber se a ansiedade ultrapassou os limites e pode ser considerada um transtorno? Quando você perde o controle das situações, quando acontece um exagero de pensamentos ruins, quando medos irracionais tomam conta de você. 

Mas é exatamente o segundo caso (ansiedade coletiva temporária) que acomete uma grande parte da população nesse momento. 

E por que a ansiedade está em alta? Porque nunca passamos por isso tudo antes, porque é uma situação desconhecida, porque paramos quase tudo que fazemos todos os dias, porque não sabemos o que vai acontecer...

Pensando assim, a ansiedade acaba sendo uma resposta quase que esperada por uma grande parte da população, pois ela se torna um sinal de alarme do organismo perante os acontecimentos atuais.

Quem pode ajudar nessas casos de ansiedade? Profissionais de saúde mental (psicólogos e psiquiatras, inicialmente).

Mas podemos fazer algumas coisas por nós mesmos nesse momento atípico causador desse mal.

Algumas sugestões que dou aos meus clientes:

  • Faça exercícios físicos (mesmo em casa);
  • Aproveite o tempo livre para ler aqueles livros que você comprou e estão guardados (sempre temos um ou dois);
  • Alongue-se durante o dia e faça exercícios para melhorar a respiração;
  • Ouça músicas;
  • Se você tem um hobby, aproveite para curti-lo;
  • Pode pedir a família toda para ajudar na organização da casa e se distrair das notícias ruins;
  • Outras atividades que te fazem bem.

Penso que muitos de nós, em alguns ou até mesmo vários momentos da vida, vamos experimentar a ansiedade. Mas, por ora, é bem provável que a população como um todo esteja ansiosa. 

Precisamos entender que a ansiedade é um dos nossos males modernos. Como o estresse, ela nos envolve no dia a dia e, se não agirmos com cuidado e buscarmos ajuda, pode trazer consequências muito negativas sobre nossa vida.

Se você se reconhece com algum sintoma característico da ansiedade, não tenha medo ou vergonha de pedir ajuda. Cuide de si.

E não poderia deixar de falar: #ficaemcasa , mas ressignifique seu tempo livre.

Um grande abraço 

contato@jomaracorgozinho.com.br

Comentários
×