Amizade?

Amizade?

O prefeito Galileu Machado (MDB) esteve em Belo Horizonte na última terça-feira, em uma reunião com o secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra), Marco Aurélio Barcelos. No encontro, vereadores e deputados que representam a cidade e a região.  Porém, entre eles, o ex-assessor especial de Machado, Fausto Barros. O que causou troca de olhares entre os políticos de Divinópolis que conhecem a situação. Amizade? Não. Acabou a restrição que o proibia de frequentar o Palácio Municipal.

Volta?

A presença de Barros, notada na reunião em BH, passou despercebida em um vídeo feito pela assessoria de comunicação da Prefeitura com o chefe do Executivo no viaduto do Complexo da Ferradura. Aliás, esta obra prometida e iniciada pelo próprio Galileu passou por três gestões, uma de Demetrius Pereira e duas de Vladimir Azevedo, e permaneceu intacta. Agora, Machado promete terminá-la, sendo este um dos assuntos acordados com o secretário Marco Aurélio. Na gravação, quem aparece ao lado de Galileu é Fausto Barros, e não o secretário municipal de fiscalização de Obras Públicas e Planejamento (antiga usina de projetos), Júlio Campolina, que também esteve na capital mineira e seria a pessoa que deveria estar ao lado do chefe do Executivo. Diante da situação, a pergunta que não quer calar é: o assessor estaria de volta?

O imbróglio

Em junho de 2017, a Polícia Civil cumpriu cinco mandados de busca e apreensão em dois endereços residenciais e no gabinete do assessor especial na Prefeitura. Denúncia do Ministério Público (MP), à época, afirmava que Barros foi condenado por fraudar licitações públicas e, por isso, não poderia atuar como nomeado no Executivo. O prefeito Galileu que tinha conhecimento da situação do assessor e, mesmo assim, o nomeou, por isso foi citado e poderia responder por improbidade administrativa, porém, não houve ação judicial.  

Momento

Sobre o afastamento de Barros, a Prefeitura informou, em nota, na ocasião, que as ações eram parte de um processo de mais de dez anos e que não tinham ligação com a atual Administração. Desde então, o assessor especial não foi visto mais em locais público com Galileu. Deixou para agir no momento certo.

MG-050

A reunião de terça-feira foi técnica e tratou do novo planejamento de intervenções obrigatórias da MG-050. O encontro, que vem sendo realizado de forma regular pelo secretário Marco Aurélio Barcelos e o diretor-geral do DEER/MG, Fabrício Sampaio, conta também com a participação de lideranças comunitárias, incluindo as duas vezes em que o secretário esteve em Divinópolis. Um gargalo e uma antiga reivindicação que parece não ter fim.

Etapa

Segue em andamento, e agora ao que parece mais acelerado, o novo planejamento de intervenções obrigatórias na rodovia, especialmente, no trecho que corta a cidade, proposto em conjunto entre a Secretaria e a Concessionária Nascentes da Gerais em julho, durante visita in loco realizada em maio pela equipe da Seinfra. Agora vai? É o que todos querem saber, mesmo se aproximando o período chuvoso e as datas prometidas. Lembrando que 2020 está logo ali.

Intrigante

A 050 não é a única obra fundamental, prometida, adiada e um tapa na cara da população. O tratamento do esgoto no rio Itapecerica (conhecido mais como a construção da ETE) e término do Hospital Público Regional também são exemplos do descaso para com a cidade e seu povo. Há tempos o trabalhador paga caro pelos serviços que não chegam. Os constantes adiamentos já duram anos, a água continua contaminada, os acidentes seguem marcando pontos da rodovia e tirando vidas, e muita gente permanece na saga de ir para municípios longínquos em busca de tratamento pelo SUS. É incrível como a cidade e nossos políticos continuam reféns da falta de interesse e boa vontade de governantes e empresas acostumadas a construir um império milionário às custas do pobre.

Comentários
×