Ameaça de greve na UPA

Da Redação

Como se não bastasse a superlotação, quem precisa da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto pode enfrentar um problema ainda mais grave. Isso porque uma ameaça de greve paira sobre a unidade. Em comunicado enviado à imprensa, o Sindicato Profissional Dos Enfermeiros e Empregados em Hospitais Casas de Saúde Duchistas e Massagistas de Divinópolis (Sindeess) convocou os funcionários da UPA para discutir o assunto em duas assembleias. O primeiro encontro foi realizado ontem à noite e o outro será hoje, no Salão do Sindicato dos Metalúrgicos de Divinópolis.

Em nota, o Sindeess afirmou que os trabalhadores da unidade estão cumprindo aviso prévio e, até o momento, o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Social (IBDS), novo administrador da UPA, não informou se eles serão recontratados. O sindicato explicou que “apesar de todos os trabalhadores estarem cumprindo aviso prévio, e o novo gestor assumir a UPA no fim deste mês, ainda não existe um documento oficial da empresa ganhadora da licitação em relação ao salário dos trabalhadores, jornada de plantão, cesta de benefícios e acordo coletivo de trabalho”.

Além de questionar a recontratação dos trabalhadores, o Sindeess indagou ainda o modelo de gestão que será implantado pelo IBDS na unidade, que prevê um menor número de funcionários.

— Pelo que a imprensa da cidade noticia, o novo gestor quer administrar a UPA com menos dinheiro e número menor de funcionários, e ainda falam que vão revolucionar na melhora do atendimento, acabando com a fila de pacientes no corredor da unidade — avaliou.

Para o sindicato, o novo modelo de gestão seria “um ataque em seus direitos, com flexibilização e retirada de direitos”. Está na pauta da organização discussões sobre as demandas dos trabalhadores da UPA diante da troca de gestão – jornada de plantão 12×60, salários, cesta de benefícios, acordo coletivo de trabalho, rescisão contratual –, reunião com o novo gestor (IBDS) e as mobilizações (manifestações, paralisações e greve).

Nova gestão

A Santa Casa de Misericórdia de Formiga deixa a gestão em 29 de setembro. A IBDS assume a administração da unidade já na próxima segunda-feira, 30. No contrato atual, o Município cede servidores para a UPA, que são os efetivos. Ao todo, a Prefeitura destinava à Santa Casa 128 funcionários concursados. Além destes, outros 229 eram contratados pela própria gestora.

Os 128 servidores efetivos foram transferidos para as Unidades Básicas de Saúde (UBS) da cidade, uma vez que o novo edital de contratação prevê que os funcionários sejam, exclusivamente, contratados pela IBDS.

Comentários
×