Alphaville x Alfavela

CREPÚSCULO DA LEI – ANO III – CXXX

Domingos Sávio

Alphaville x Alfavela

 

DIA 12.03.2019: A polícia do Rio de Janeiro apreendeu, no interior do condomínio Vivendas da Barra, 117 fuzis localizados na casa de Alexandre Mota de Souza, “amigo de infância” de Ronnie Lessa, envolvido no homicídio de Marielle Franco. Um barco de Ronnie foi rastreado e estava “no nome” de Alexandre. Não houve arrombamento, nem tiro, nem tapas, nem gritos. Tudo muito cordial. O proprietário da casa alegou que seu amigo Ronnie o teria pedido  que guardasse aquelas caixas “em especial favor”. Como eram amigos de longa data (?) o proprietário concordou em ajudá-lo, mas ficou “muito surpreso” quando a polícia abriu as mencionadas e encontrou nelas tanto armamento. Foi a maior apreensão de fuzis da história do Rio de Janeiro (Ronnie Lessa mantinha ligações com a família do presidente da república).

DIA 27.04.2021: É instalada em Brasília ‒ Senado Federal ‒ uma Comissão Parlamentar de Inquérito para apurar eventuais ações e omissões por parte do governo federal, em face do flagelo pandêmico que já causou a morte de mais de 400 mil pessoas no país. Os primeiros depoimentos indicam a insistência da presidência da república para com um “tratamento precoce” à base de cloroquina, associado à negativa de aquisição regular da vacina correspondente e necessária.

DIA 05.05.2021: O presidente da república se reúne com o governador do Rio de Janeiro no Palácio das Laranjeiras, sede do governo estadual.

DIA 06.05.2012: No Rio de Janeiro, comunidade de “Jacarezinho”, é deflagrada a Operação Exceptis, sob o argumento de apreender armas e proteger crianças que estariam sendo aliciadas por traficantes do “Comando Vermelho”. Para “proteger” tais crianças foram mortas 29 pessoas, sendo um policial e 28 “suspeitos”. A operação foi desencadeada pela “Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente” (DPCA) e iniciou-se às 6h, tendo durado aproximadamente nove horas, inclusive com disparos do alto, mediante helicóptero. Além dos cadáveres, foram apreendidos seis fuzis, 16 pistolas, uma submetralhadora e uma munição antitanque (Nada foi mencionado sobre as crianças que seriam protegidas).

DIA 09.05.2021: A presidência da república organiza uma motociata em Brasília, com aproximadamente 5 mil participantes. Festa e alegria.

CONSIDERAÇÕES: I. Se o governo do Rio de Janeiro (ou qualquer outro) realmente se preocupasse com crianças em favelas, não haveria favelas, nem crianças em favelas; II. Já aconteceram outras operações policiais ‒ com muitas mortes ‒ no Rio de Janeiro e sob o costumeiro argumento de “guerra” ao tráfico de drogas, mas o tráfico de drogas continua inabalável; III. As milícias do Rio de Janeiro ocupam 57% do território da cidade e estão em luta contra traficantes para ocupação de mais território. Não havia milícia no “Jacarezinho” por conta do “Comando Vermelho”; IV. As milícias vão se aproveitar do “Jacarezinho” e o tráfico vai continuar inabalável; V. Não se tem notícias de operações policiais com igual nível de violência em áreas ocupadas pela milícia, onde o tráfico se mantém inabalável; VII. O armamento apreendido no “Jacarezinho” certamente não é fabricado pelos moradores locais; VIII. Em 2020 o Supremo Tribunal Federal (STF) havia determinado restrição e não realização de operações dessa ordem nas comunidades enquanto perdurar a pandemia, a não ser em casos “absolutamente excepcionais”. O STF não foi avisado; IX. Os blindados “caveirões” foram novamente usados; X. Muitas crianças, aquelas que seriam protegidas contra os tais traficantes, ficaram “sem pai” no dia das mães.

Enquanto isso, no condomínio Vivendas da Barra tudo vai bem. Lá não tem drogas, nem traficante, nem milícia. Isso é coisa de favela.

 

Comentários
×