ALMG decreta luto pelas mortes provocadas pelo coronavírus

Anúncio foi feito em Plenário nesta quarta, 1°; deputados fizeram um minuto de silêncio em respeito às vítimas.

Da Redação

O presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Agostinho Patrus (PV), decretou luto institucional pelas mortes provocadas pelo novo coronavírus no Estado. O anúncio foi feito na Reunião Ordinária de Plenário realizada nesta quarta-feira, 1º. Minas Gerais atingiu a marca de 1.007 mortos pela doença, segundo a Secretaria de Estado de Saúde. No texto lido pelo 1º-vice-presidente da ALMG, deputado Antonio Carlos Arantes (PSDB), os parlamentares se solidarizaram com os familiares das vítimas e lembraram da importância dos profissionais de saúde e dos trabalhadores dos serviços essenciais durante a pandemia.O Plenário fez um minuto de silêncio em respeito às vítimas do coronavírus.

Durante o luto institucional de três dias, ficam proibidas comemorações no âmbito da ALMG e as bandeiras de Minas Gerais e de Belo Horizonte serão hasteadas a meio mastro no Hall das Bandeiras.

— Quero manifestar, antes de tudo, o sentimento de dor e de pesar aos familiares dos mineiros e das mineiras que tiveram suas vidas interrompidas. Este Parlamento não tem medido esforços para tomar medidas que auxiliem no combate a esse inimigo invisível e mortal, destinando sua estrutura e recursos para o enfrentamento da pandemia no Estado — afirmou o presidente Agostinho Patrus.

Leia a íntegra do texto que decreta o luto:

"Hoje atingimos a triste marca de mil e sete mortes oficiais no Estado pela Covid-19. Quero manifestar, antes de tudo, o sentimento de dor e de pesar aos familiares dos mineiros e das mineiras que tiveram suas vidas interrompidas.

Como representante do Povo de Minas Gerais, esta Casa se solidariza com o sofrimento dessas famílias nesse momento de tristeza e decreta luto institucional pelo prazo de três dias.

Durante esse período, ficam proibidas quaisquer comemorações, no âmbito da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, e as bandeiras de Minas Gerais e de Belo Horizonte serão hasteadas a meio mastro no Largo das Bandeiras.

Este Parlamento não tem medido esforços para tomar medidas que auxiliem no combate a esse inimigo invisível e mortal, destinando sua estrutura e recursos para o enfrentamento da pandemia no Estado.

Ressaltamos ainda o trabalho heroico dos inúmeros profissionais da saúde e trabalhadores dos serviços essenciais, que dedicam sua força na árdua missão de cuidar e de proteger a todos.

Faremos agora um minuto de silêncio em respeito às mil e sete vidas da Covid-19."

Comentários
×