Alimentos contribuem para a queda da inflação

 Jorge Guimarães

Assim como em todo país, os preços dos alimentos também tiveram queda nas gôndolas dos postos de vendas em Divinópolis. Para se ter uma ideia da queda dos valores na cidade, a cesta básica chegou ao menor valor dos últimos 27 meses. Com a leve queda de 1,52%, o conjunto de alimentos básicos nos supermercados da cidade chegou a R$ 304 em novembro, de acordo com os dados do Núcleo de Pesquisas Econômicas (Nupec) da Faced.

Com a queda de 1,54% em novembro, na comparação com outro, o valor da cesta acumula uma variação negativa de 9,94% no ano e, em 12 meses, retraiu ainda mais 11,32%. Os produtos que mais contribuíram para o recuo do custo da cesta em novembro foram tomate (-24,38%), batata (-18,15%), e feijão (-3,58%). 

Brasil

Pelo sétimo mês consecutivo o grupo alimentos, que tem o maior peso no IPCA (cerca de 25%), apresentou queda de preços. Nos últimos 12 meses, a variação acumulada desse grupo é de -2,32% e, no ano, está em -2,40%, a menor desde a implantação do Plano Real, em 1994. Os preços do item alimentação, que representa efetivamente os gêneros alimentícios consumidos nas residências e cujo peso no índice geral é de aproximadamente 16%, recuaram, em média, 0,72% em novembro.

Variação

Nos últimos 12 meses, a variação acumulada desse item é ainda mais significativa, alcançando -5,3%, muito próxima da variação no ano, que é de -5,25%. Assim, dado o seu peso, o impacto da contribuição da queda do item alimentação no IPCA acumulado em 12 meses é de -0,84 ponto percentual.

Em novembro, as principais quedas em relação a outubro ocorreram com o feijão carioca (-8,40%), ovos (-3,28%), farinha de mandioca (-4,78%), e tomate (-4,64%) e açúcar (- 4,93%).

Crescimento

Puxado pela safra recorde colhida neste ano, de 238 milhões de toneladas de grãos, a agropecuária apresentou um crescimento acumulado de 15% no primeiro semestre de 2017, comparado ao mesmo período do ano anterior, que foi um dos pontos a frear a inflação.

 

Comentários
×