Alimentação fora de casa fica com preço estável em Divinópolis

 

Jorge Guimarães 

Comer fora de casa está basicamente com valor estável e o aluguel está caindo dependendo do tipo de imóvel escolhido, na comparação de fevereiro com janeiro. É o que se pode concluir de pesquisas divulgadas pelo Núcleo de Pesquisas Econômicas (Nupec), ligado à Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis de Divinópolis (Faced).  

A pesquisa de custos com alimentação fora de casa foi realizada no período de 5 a 15 de fevereiro em 20 restaurantes. Foram avaliados os valores médios pagos pelas refeições em estabelecimentos comerciais que trabalham com, pelo menos, uma das opções em prato feito (PF), self-service, comida sem balança.  O valor médio reflete os gastos com uma refeição completa, composta por prato principal, e mostrou uma estabilidade em relação a janeiro. 

Variação 

A variação percentual do custo com alimentação fora de casa ficou estável em relação ao preço da comida na sem balança; teve um pequeno acréscimo de 0,02% no self-service; e caiu em -1,97% no tradicional prato feito. 

Preços 

Entre outros números, a pesquisa revela que o preço médio do self-service ficou nos R$ 40,42; da comida sem balança em R$ 12,83; e do prato feito em R$ 12,45. 

Aluguéis 

A pesquisa de aluguéis tem o objetivo de fornecer informações sobre o mercado imobiliário. Mensalmente, são pesquisados, nas principais imobiliárias da cidade, os preços dos aluguéis de apartamentos, casas, barracões, lojas, salas e galpões nos principais bairros da cidade. 

Em fevereiro, observaram-se variações negativas nos aluguéis de cinco dos nove tipos de imóveis pesquisados em Divinópolis. Nota-se que ainda há um mercado com significativo desequilíbrio existente entre a oferta e demanda de imóveis na cidade, conforme mostra a pesquisa. 

Imóveis  

Nos imóveis residenciais, as casas com três quartos registraram retrações de 3,1%. Os apartamentos de três quartos, por sua vez, apresentaram quedas médias de 9%. Já os apartamentos de dois quartos demonstraram aumentos de 8,02%. 

Com relação aos imóveis comerciais, destacaram-se as lojas de até 100 metros quadrados, com retração de 4,09%, e os galpões de 100 até 200 metros quadrados, com uma diminuição nos valores médios de 4,65%. 

 

Comentários
×