Alerta para perigos do câncer de próstata

 

Maria Tereza Oliveira

A campanha “Novembro Azul” é feita todos os anos com o intuito de aumentar a conscientização sobre a prevenção do câncer de próstata. O principal inimigo da luta contra este câncer é o tabu envolvendo os exames.

O câncer de próstata, tipo mais comum entre os homens, é a causa de morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas.

Muitos protelam para fazer o exame do toque e, com isto, acabam descobrindo a doença tardiamente. Consequentemente as chances de cura.

Embora seja um dos tipos de câncer que mais mata no país, se descoberto precocemente, nove a cada dez pacientes são curados.

Segundo pesquisa realizada pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca), apenas Brasil, estimam-se que a cada ano surgem 68.220 novos casos de câncer de próstata. Estes valores correspondem a cerca de 66,12 casos novos a cada 100 mil homens.

Casos na região

De acordo com a Associação de Combate ao Câncer Centro Oeste Minas (Acccom), só no ano passado, foram realizadas 394 cirurgias em 332 pacientes. Isso porque em alguns casos é necessário que seja feita mais de uma cirurgia. Em 2016 foram 291 cirurgias em 237 pacientes.

Ainda segundo a Acccom, os homens dificilmente descobrem o câncer de próstata precocemente.

— Em contrapartida, mesmo que em sua maioria o câncer de próstata seja diagnosticado em estágio avançado, nos últimos anos, o número de casos descobertos no início tem crescido gradativamente — informou.

Prevenção

A maior arma contra doença é a prevenção. Quanto mais cedo o câncer é descoberto, maiores são as chances de cura do paciente.

Para investigar o câncer de próstata são feitos dois exames: o de toque retal, que avalia o tamanho, a forma e a textura da próstata, e o Antígeno Prostático Específico (PSD).

Além destes, para confirmar uma suspeita sinalizada pelos dois testes, é feita uma biópsia, que consiste em analisar pequenos pedaços da glândula.

O sobrepeso e tabagismo também aumentam as chances de manifestação da doença, portanto, praticar atividades físicas e manter uma alimentação saudável são formas de prevenir a doença.

Tabu

Mesmo sendo a maior arma contra a doença, o exame, sobretudo, o de toque, é visto com desconfiança pelos homens. O machismo, por exemplo, é um dos grandes obstáculos contra a enfermidade. Alguns homens erroneamente ainda acreditam que o exame de toque pode comprometer a masculinidade.

Como consequência desta resistência ao exame há o isolamento e a baixa autoestima do paciente que muitas vezes tem dificuldade para buscar ajuda médica e durante o tratamento precisa se afastar das atividades laborais.

Ainda assim, os médicos recomendam a realização do toque e da dosagem do PSA a todos os homens acima de 50 anos. Para aqueles com história familiar de câncer de próstata (pai ou irmão) antes dos 60 anos, os especialistas recomendam realizar esses exames a partir dos 40 anos.

Fator de risco

Alguns requisitos aumentam as chances do homem desenvolver a doença. Histórico, cujo pai ou irmão tiveram câncer de próstata antes dos 60 anos têm maior chance de desenvolvê-lo.

A cada dez homens diagnosticados com câncer de próstata, nove têm mais de 55 anos. Os dados apontam que a idade também aumenta as chances da manifestação da doença.

 

Comentários
×