Ainda a usina de asfalto

Bob Clementino 

Por mais que o prefeito Galileu Machado (MDB) tente explicar que não se trata de desinteresse do Município em relação aos recursos federais indicados pelo senador Carlos Viana (PSD) para a compra de uma usina de asfalto quente, não convence a maioria dos eleitores. Pretendendo justificar a recusa em receber a usina de asfalto quente, Galileu argumenta que ela é uma estrutura extremamente onerosa e que seria subutilizada, caso fosse implantada aqui. Será?

Mas...

A Prefeitura de Divinópolis adquiriu, em março de 2019, de uma empresa da cidade de Oliveira, por R$ 366 mil, 600 toneladas de Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ) para o serviço tapa-buracos. Este asfalto comprado é exatamente o que a usina produz. Pergunta-se: a compra do asfalto quente produzido em Oliveira terá, em necessidades futuras, o mesmo custo? Outra pergunta: se a prefeitura tem uma usina de asfalto frio no pátio da Empresa Municipal de Obras Públicas (Emop), por que precisou comprar asfalto quente de Oliveira? Esse asfalto produzido pela Prefeitura de Divinópolis não resolve o caos que a buraqueira nas ruas da cidade provoca? Asfalto frio para pavimentação se refere a um concreto betuminoso, que é usinado a quente, mas tem sua aplicação a frio.

Vão insistir com asfalto frio

Para justificar o fato de estar negando receber uma usina de asfalto quente de graça, o prefeito Galileu Machado disse, em nota oficial ,que já estão em fase de licitação as obras de recapeamento das principais vias da cidade. “A abertura do processo será no dia 20 de março”, garantiu o prefeito. Significa que este recapeamento das ruas da cidade será feito com o asfalto frio produzido na usina improvisada no pátio da Prefeitura. E o tal asfalto é de boa qualidade ou é simplesmente um engodo? Pergunto porque lembro que a Prefeitura “adquiriu de uma empresa da cidade de Oliveira, por R$ 366 mil, 600 toneladas de CBUQ para o serviço tapa-buracos em 2019”.  Estranho, não?

Narrativa que ficará

Na política, às vezes, o boato vale mais que o fato. Tanto o deputado Cleitinho Azevedo (CDN) e o vereador Matheus, mesmo partido, quanto Galileu Machado têm lá suas razões ao analisar a necessidade e a recusa desta usina de asfalto quente. Mas a versão que vai ficar para os eleitores neste ano eleitoral é que “as ruas estão esburacadas e que deputado e o vereador encontraram solução e recursos para resolver esta demanda que tanto prejudica os munícipes e o prefeito recusou”.  Aposto nisso e realmente é a impressão que se tem.

Jaiminho está em Brasília

Sempre que Divinópolis precisar de uma solução para seus problemas, é preciso lembrar que temos em Brasília, além dos deputados Domingos Sávio (PSDB) e Fabiano Tolentino (CDN), o ex-deputado Jaiminho Martins (Pros). É que o filho do Jaimão foi nomeado pelo governador Zema para cargo no governo de Minas: chefia do escritório de Relações Institucional do Governo de Minas em Brasília. Jaiminho está lotado na Secretaria de Governo, ao lado de Bilac Pinto, titular da pasta.

Essa secretaria é responsável pela articulação política do governo e suas relações com o legislativo. Será responsável pela interlocução entre o Governo de Minas, a bancada federal e o governo federal. Canal aberto para Divinópolis? A ver!

Quer votos em 2020

Pré-candidatos a vereador ficam nos aporrinhando com vídeos, chutando balde e outros objetos, como se fosse função dos edis obrigar o prefeito a fazer obras. E não é! Pleitear obras para seus bairros os presidentes das associações de moradores fazem melhor que os vereadores e pré-candidatos. Mas se querem continuar esta péssima tradição de cobrar obras do prefeito, desafio a todos, pré e vereadores, a resolverem um problema que há anos os moradores do bairro Jardinópolis enfrentam.

Explico

O bairro Jardinópolis tem um vale no meio do bairro, e as redes de esgoto clandestinas que vêm da parte alta se acumulam neste local, transformando-se num esgoto a céu aberto. É que, sem uma elevatória, as redes de esgoto “não sobem o morro”. Então, pré-candidatos chutadores de baldes e edis que querem se reeleger, quem de vocês vai conseguir convencer a Prefeitura e a Copasa a construírem essas elevatórias para livrar os moradores do Jardinópolis do mau cheiro do esgoto nas ruas do bairro?  Quem ousar, certamente, receberá muitos votos dos eleitores da região. Mas não será uma tarefa fácil!

 

Comentários
×