Ah, se a moda pega!

 Que queda em buraco nas calçadas ou passeios públicos e ruas pode gerar indenização, creio que toda a população de Divinópolis sabe! Só que, na prática, tudo acaba na inércia das vítimas e ninguém processa a Prefeitura, em busca da reparação dos danos e dos transtornos causados por seus descuidos, omissões e prejuízo às pessoas. Parece, no entanto, que esse direito está começando a ser exercido pelos prejudicados. Em 2017, Marcionilia Neta de Sousa, depois de cair em um buraco na calçada da avenida 1º de Junho, ajuizou uma ação de indenização contra a Prefeitura de Divinópolis e a sentença foi publicada agora, no último dia 7, condenando o Município a pagar à vítima a importância de R$ 5 mil. Confesso que, neste estado lastimável da cidade, completamente esburacada, principalmente na má pavimentação geral, já me rondava essa preocupação de o povo cobrar da Prefeitura reparação por eventuais prejuízos pessoais e materiais.

 Buracos nas ruas e nos passeios públicos

 Por que é possível um transeunte processar a Prefeitura se sofrer um acidente caminhando por um passeio público? Porque é dever da prefeitura zelar pela segurança dos munícipes e pela prevenção de acidentes. “Cuidar de passeios públicos é competência do Município e a ele incumbe a sua manutenção e sinalização, advertindo os transeuntes, caso não os conserte, dos perigos e dos obstáculos que se apresentam. A falta no cumprimento desse dever caracteriza a conduta negligente da administração pública e a torna responsável pelos danos que dessa omissão advenham”, explica o desembargador Edilson Olímpio Fernandes, da 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). Igualmente, atenção a esse direito do cidadão cabe à Copasa, Cemig e a outros órgãos públicos,  responsáveis, da mesma forma,  por acidentes que ocorram em razão de buracos e serviços mal prestados.

 Juro que não entendo!

 O mesmo vereador que denuncia injustiça social na cobrança do IPTU em Divinópolis, que cita que há imóveis na cidade com quatro andares e está pagando IPTU referente a lote, e que há 26.200 imóveis pagando abaixo da cota básica do IPTU, posiciona-se contra o empréstimo do georreferenciamento que corrige a injustiça social na planta que ele denunciou. Este edil garante que há imóveis pagando R$ 0,80 e, por isso, o Executivo afirma que a notificação que este parlamentar fez ao MP para barrar o georreferenciamento é para induzir a população ao erro e tumultuar o Governo.

 Domingos Salva

 Na relação entre um político e os eleitores, transitam amor e ódio. E, se analisarmos o envolvimento do deputado Domingos Sávio (PSDB) com o eleitorado de Divinópolis, sob a perspectiva de um namoro, veremos que houve uma ruptura entre os dois. Mas nada definitivo, se o deputado conseguir reviver no eleitorado o encantamento de 2010, quando obteve aqui 29.494 votos. Por que em 2018 ele obteve apenas 3.973 votos? Porque em um namoro não pode haver uma distância afetiva. É verdade que os laços emocionais tendem a passar por diferentes fases e, convenhamos, assoberbado com a tarefa de conduzir, como Presidente estadual, o PSDB, Domingos foi um namorado que, aparentemente, descuidou da atenção que se deve dar ao parceiro ( eleitorado) em todos os aspectos que reforçam o vínculo. E, na política, estar menos presente na base eleitoral pesa mais do que não atender às demandas da população. Tanto é verdade que, embora o deputado tenha “salvado” a prefeitura em várias situações de caos, com verbas parlamentares, o eleitorado sentiu sua falta nas ruas da cidade. Mas, agora os tempos são outros e o deputado Domingos Sávio fala diretamente com o presidente Bolsonaro, que é seu amigo pessoal. Portanto, o Tucano deve estar se preparando para a tarefa de reconquistar seu eleitorado em Divinópolis.

Acho que Domingos se salva.

Comentários
×