Ah, professor

É impossível escrever um editorial para falar de professores. Sem o texto estar em terceira pessoa. Afinal, eles são os nossos mestres. São os nossos heróis. O nosso alicerce para uma vida de sucesso. Não tem maneira melhor de começar esse texto do que com o cordel “A força do professor”, de Braulio Bessa. 

“Um guerreiro sem espada,

sem faca, foice ou facão

armado só de amor

segurando um giz na mão

o livro é seu escudo

que lhe protege de tudo

que possa lhe causar dor

por isso eu tenho dito

tenho fé e acredito

na força do professor.

Ah... se um dia governantes

prestassem mais atenção

nos verdadeiros heróis

que constroem a nação.

Ah... se fizessem justiça

sem corpo mole ou preguiça

lhe dando o real valor

eu daria um grande grito.

Tenho fé e acredito

na força do professor.

Porém não sinta vergonha

não se sinta derrotado

se o nosso país vai mal

você não é o culpado.

Nas potências mundiais

são sempre heróis nacionais

e por aqui sem valor

mesmo triste e muito aflito

tenho fé e acredito

na força do professor.

Um arquiteto de sonhos

Engenheiro do futuro

Um motorista da vida

dirigindo no escuro

Um plantador de esperança

plantando em cada criança

um adulto sonhador

e esse cordel foi escrito

por que ainda acredito

na força do professor.” 

Bonito mesmo é exercer uma profissão tão nobre e ao mesmo tempo tão desvalorizada. Bonito mesmo é estar ali, todos os dias, mesmo podendo trilhar outros caminhos. Bonito mesmo é repassar conhecimento, com tanto amor, carinho e dedicação, quando os tempos são sombrios. Bonito mesmo é ir para a sala de aula, e encarar o olhar dos desinteressados. Bonito mesmo é persistir na educação, quando tudo é cansaço. Bonito mesmo é se dedicar ao outro, mesmo não recebendo nada em troca.

É impossível viver uma vida sem se lembrar da primeira professora. Aquela que toda paciência pegou nas nossas mãos e nos ensinou as primeiras letras, os primeiros sons, as primeiras contas. Ah, a primeira professora. Não há quem não se lembre. Não há quem guarde esta lembrança com tanto amor em sua memória. Depois da primeira, muitos outros passam em nossas vidas. Mas ela, não. Ela fica ali, guardada no coração, nos lembrando que foi ali o primeiro passo de uma vida cheia de aprendizagem.

Quem dera se todos tivéssemos a força do professor. Quem dera se todos tivéssemos a determinação de um professor. Quem dera se a população defendesse professor como defende político. Quem dera se eles fossem valorizados como devem ser. Quem dera se eles tivessem o devido respeito durante todo ano e não só no dia 15 de outubro, anteontem. Afinal, o que seria do ser humano sem o professor? É deles o sucesso que cada um tem em sua vida. É deles o conhecimento repassado. É deles tudo o que as nossas crianças são e serão no futuro.

Hoje queremos agradecer aos nossos mestres. Aos nossos verdadeiros heróis, por não desistirem, por serem toda esta força, por serem amor com um giz na mão, por serem dedicação com os livros nos braços, por serem tudo o que a pátria precisa. Queremos desejar vida longa aos nossos mestres. Que eles vivam eternamente no coração de cada um e que não desistam desta caminha tão árdua, mas que traz coisas muito boas para as nossas vidas!

Comentários
×