Ah, o inferno e as boas intenções

Há um ditado que diz que de boas intenções o inferno está lotado. E é verdade. Muita gente que se julga a dona da moral e dos bons costumes, no fundo, não passa de vendedor de ilusão. A Câmara é um lugar lotado de boas intenções, que vão direto para o inferno. Circula, nos corredores do Poder Legislativo, que um vereador descobriu que o prefeito Galileu Machado (MDB) não estava cobrando a taxa de uso e ocupação de solo dos donos das bancas de revistas. O prefeito, sensibilizado com a situação, pois as vendas de jornais e revistas despencaram, estava “fazendo vistas grossas”. Dizem que foi só cair no ouvido deste parlamentar e ele ameaçou pedir o impeachment de Galileu, alegando renúncia de receita. O boato é que encurralado o prefeito não teve outra saída senão voltar a cobrar a taxa dos proprietários das bancas de revistas. Para anunciar a volta da cobrança, uma reunião foi feita lá no alto da avenida Paraná, no Centro Administrativo. E, por incrível que pareça, o mesmo vereador que ameaçou denunciar o prefeito por renúncia de receita, estava presente na reunião e dizendo aos donos das bancas que irá ajudá-los.

A hipocrisia não para...

O teatro da política divinopolitana, sem sombra de dúvidas, merece Oscar. Na verdade, os vereadores devem fazer parte de alguma tribo, com o nome de “os kara de pau”. O que tem de parlamentar que vai para a Tribuna Livre e bate no peito que é incorruptível e a favor da liberdade de imprensa não é brincadeira. Há um parlamentar que é inimigo declarado da imprensa local. Basta sair uma notícia sobre ele que não o agrade e pronto, o judiciário bate à porta. Mas este daí todos já sabem com quem estão lidando, e foi deixado de lado. Porém o que tem de vereador que censura a imprensa de outra forma... Se sair uma notícia que não lhe agrade, pronto, é motivo de cancelar assinatura, suspender publicidade e por aí vai. É aquilo, né? Se o povo não viu, o eleitorado está seguro. A hipocrisia está por todos os lados. Está no vereador que bate nas costas de quem ele deu uma facada, e também naquele que pratica censura de uma forma velada. Serão estes os novos tempos do Brasil?

Só cinco?

O Tesouro Nacional divulgou um levantamento sobre cidades da região que se destacam em capacidade de administrar. E, pasmem, só cinco receberam nota A do órgão. De 54 municípios, só cinco se destacaram por terem uma boa gestão e estão habilitadas a pegar empréstimos com garantia da União. O mais assustador de tudo isso é ver que são cidades pequenas: Santo Antônio do Monte, Japaraíba, Perdigão, Pitangui e São Sebastião do Oeste. As “potências” da região (Itaúna, Divinópolis e Nova Serrana) levaram um baile das cidades menores. A pergunta continua a mesma: o que faltou? Ou melhor, o que esses prefeitos fizeram durante a crise, que conseguiram manter suas administrações em dia? Qual a mágica para manter o desenvolvimento econômico mesmo em época de recessão?

Por falar em recessão...

Por falar em recessão, em Tesouro Nacional e em desenvolvimento econômico, como anda o desenvolvimento econômico da cidade? Está tudo em dia? Tem secretário novo na pasta? Pois é, já tem mais de uma semana que José Alonso assumiu a assessoria especial de governo e deixou a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, e ninguém assumiu o seu lugar. Como uma pasta tão importante fica sem um responsável? Ah, é, se tem Infraero e aeroporto está tudo bem. Não precisa de mais nada, não!

Comentários
×