Ah, as mulheres

Já dizia o poeta: “Homens, segurem o seu machismo, porque eu estou passando com toda a minha graça”. Hoje, Divinópolis viveu um momento histórico. Pela primeira vez, uma mulher assumiu o comando do Corpo de Bombeiros. Esta é a primeira vez que uma mulher assume um posto de destaque na corporação no interior mineiro. Com quase 20 anos no Corpo de Bombeiros, a major Amanda Cristina assumiu o lugar do tenente-coronel Paulo César, que exerceu a função por quase dois anos. Que momento emocionante. Tal feito será contado de geração em geração: “o dia em que uma mulher assumiu o comando de uma unidade do Corpo de Bombeiros”. Não há o que se falar, apenas vislumbrar e aplaudir. Com toda sua competência, é fato que a major Amanda Cristina conduzirá com maestria o 10º Batalhão do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais.

Este fato histórico foi realizado justamente na semana em que foram completados 87 anos que a mulher conquistou o seu direito ao voto. Do direito ao voto, ao comando de uma corporação tão importante e respeitada. As lutas são incontáveis. E se elas chegaram onde querem chegar? Ainda não! Ainda falta muito. As lutas são diárias. Ainda falta respeito, ainda falta a sociedade perceber que a mulher não é um simples objeto para o homem. Em pleno século 21, ano 2019, ainda falta muito. Falta acabar com pensamentos primitivos. Falta permitir que elas sejam o que querem ser. Da dona de casa a comandante. Da mãe que opta por trabalhar em casa à empresária, que está na empresa todos os dias. É. Ainda falta. É como dizem por aí, “nem o gay volta para o armário, nem o negro para a senzala e nem a mulher para a cozinha”. E é melhor os machistas de plantão se acostumarem, porque agora não tem como parar. Este é apenas o início.

Divinópolis tem, em sua história, mulheres brilhantes, das quais destacamos algumas: Dona Maria Martins, não há quem não se lembre dela com ternura; Heloísa Cerri, mulher de pulso firme, que exerceu um excelente papel na política local. Temos ainda Dilza Nery Faria, que dedicou sua vida à educação da cidade durante 27 anos. Quantas mulheres! Hoje, temos Elis Regina Guimarães que, à frente do Complexo de Saúde São João de Deus, com sua equipe, reergueu a instituição. À frente do Agora, duas mulheres guerreiras, que lutam para que a cidade se mantenha bem informada: Janiene Faria e Gisele Souto. Tivemos ainda Daniela Faria na direção do jornal, que trilhou caminhos nunca desbravados antes pelo jornal. Na política da cidade está Janete Aparecida (PSD), única parlamentar eleita, infelizmente.

Não só essas fazem história na cidade, mas todas aquelas que resistem. Todas aquelas que mesmo diante toda dificuldade lutam para se manter de pé diante do machismo, diante do mercado de trabalho, diante da falta de respeito, da falta de credibilidade e da falta de esperança. É assim, insistindo e persistindo, que as que hoje estão à frente de seu tempo, abrem caminho para as outras passarem. Em uma rede invisível de apoio, elas são “abridoras de caminho”, são inspiração para dias melhores, são a essência da vida. Parabenizamos a major Amanda por tamanha conquista. E dizer a todas as mulheres: “Não desistam, vocês, hoje estão abrindo os caminhos para as mulheres de amanhã”. Lutem como uma garota!

Comentários
×