Agronegócio mineiro registra declínio das exportações

Pablo Santos

Dados da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) apontam retração do agronegócio mineiro. Entre janeiro e outubro, os negócios caíram 2,5% em valor e 4,7% em volume de produtos enviados ao exterior, quando se compara com o mesmo período de 2018.

Conforme a Seapa, o faturamento gerado com os embarques chegaram a US$ 6,38 bilhões. Foram exportados R$ 8,5 milhões de toneladas de produtos agrícolas e pecuários nos primeiros 10 meses do ano.

Ainda conforme os números, a retração registrada nas exportações foi provocada pelos resultados negativos verificados nos embarques do complexo de soja, produtos florestais e do setor sucroalcooleiro.

As exportações do agronegócio, conforme a Seapa, responderam por 30,9% do faturamento gerado com os embarques totais feitos por Minas Gerais, que, no período, foram de US$ 20,6 bilhões. 

Lideraram

Em Minas Gerais, o declínio no faturamento das exportações do agronegócio teve como influência principal a retração da soja. O setor é o segundo maior exportador, respondendo por 18,8% das vendas do agronegócio mineiro ao exterior. O grão somente perde para o café, responsável 44% do valor exportado.

Outro item em queda foram as vendas ao exterior de produtos florestais. Os embarques movimentaram uma receita de US$ 580 milhões, retração de 12,2% se comparado com o faturamento gerado em igual período do ano anterior, quando a movimentação financeira chegou a US$ 661,1 milhões.

Já as exportações do setor sucroalcooleiro retraíram 11,8% em faturamento, encerrando os primeiros dez meses de 2019 em US$ 593,3 milhões, apontou Seapa.

Os negócios com o exterior do café, principal produto da pauta exportadora do agronegócio mineiro, apresentaram alta de 17,1% no faturamento. Em volume, o acréscimo ficou em 37,1%. Ao todo, foram destinadas ao mercado internacional 1,3 milhão de toneladas de café.

Nas exportações de carnes foi registrada alta de 18,8% no faturamento, que somou US$ 815,1 milhões. Entre janeiro e outubro, os embarques de carnes movimentaram 232,6 mil toneladas, queda de 1,9%.

 

 

Comentários
×