Agora estreia série de tiras de humor sobre combate a mosquitos que transmitem doenças

Ricardo Welbert

O Agora começa a publicar neste sábado, 21, a série de tiras “Mosquitaria”. Criadas pelo artista gráfico Hamilton Costa, as ilustrações têm o aedes aegypti como personagem principal e usa o humor para conscientizar sobre a importância do combate às doenças transmitidas por mosquitos.

Na tira de estreia, o transmissor de dengue, zika e chikungunya aparece sozinho, em um monólogo no qual ensina ao leitor o que fazer para permitir que ele se reproduza aos montes.

Nas próximas tiras, outros personagens surgirão. Tem o Barata, Grilo, vários vírus e ainda o Morte. O cidadão comum, que quer acabar com o mosquito, e o cidadão incomum, que não entende seu papel nisso tudo, dentre outros. O universo mostrado nas tirinhas é baseado no realismo fantástico e voltadas para o humor.

— A ideia do “Mosquitaria” veio do trabalho que desenvolvo na equipe de educação em saúde da Vigilância em Saúde de Divinópolis. Nesta mesma equipe já fui destaque internacional com o projeto do livro "Rada Acupa", uma história didática infantil sobre a inserção do aedes aegypti na nossa cidade, contada de forma totalmente lúdica — explica.

amilton se inspira em dificuldades que percebe nas mudanças de comportamento da população e nas experiências dos agentes de combate aos mosquitos.

— Estou muito feliz e grato pela divulgação dessa série no jornal. Estou na expectativa que todos os leitores gostem, se divirtam e aprendam, pois o intuito principal é a conscientização — ele diz.

Multitalento

Hamilton Costa tem 40 anos. Nasceu em São Paulo e cresceu no Guarujá. Mora em Divinópolis desde 1992.

Estudou arquitetura pela Universidade de Itaúna, mas sempre me dedicou à arte.

— Comecei a desenhar aos sete ou oito anos. A princípio copiando meus heróis em gibis e depois criando meus próprios personagens — revela.

No mundo dos quadrinhos já teve tirinhas publicadas. Inclusive no extinto "Diário do Poste", onde começou com tirinhas políticas inspiradas em fatos ocorridos em Divinópolis.

Depois da introdução ao desenho veio a prática de pintura e aproximação à música. Já teve até uma banda, para a qual também compôs muitas canções.

Há 19 anos Hamilton exerce uma das artes às quais mais se dedica: o teatro. Começou como ator e logo passou a ser diretor e hoje – após muito estudo, ele ressalta – se dedica também à dramaturgia.

— Hoje, com registro profissional e tudo, sou diretor e ator de teatro, dramaturgo com 77 peças de teatro registradas — revela, orgulhoso.

Confira a tira de estreia

Comentários
×