Agora é oficial!

Preto no Branco 

Marquinho Clementino (Republicanos) será mesmo candidato a prefeito de Divinópolis. O ex-vereador anunciou sua pré-candidatura por meio de uma live na última sexta-feira, 10, ao lado do médico Wagno Ribeiro (PDT). Decisão que mina, pelo menos por enquanto, as intenções de Fabiano Tolentino (CDN) de tê-lo como vice em sua chapa. O ex-deputado havia revelado a este PB que, caso houvesse um acordo, Clementino seria um bom nome para entrar com ele na disputa. No entanto, não seria tão fácil assim, visto que Marquinho vem em “campanha” há cerca de dois anos e desde que se candidatou ao Executivo, no fim do seu mandato de vereador, nunca escondeu sua vontade de gerir Divinópolis. E, se vai mesmo, este é o caminho. A população precisa conhecer o mais cedo possível os pretendentes ao cargo para ter tempo de analisar e fazer suas escolhas.

Pode mudar 

Claro que o lançamento da pré-candidatura não significa o fim da possibilidade da união entre pretendentes ao cargo de prefeito para formar uma chapa só. Isso porque não houve ainda as convenções e, só depois disso, acontece a homologação. Neste caso envolvendo Tolentino e Clementino ficou mais difícil porque os dois querem ser cabeça de chapa. O que não inviabiliza também Fabiano abrir mão da disputa para prefeito, compondo, com Jaime Martins (Pros), uma chapa. Possibilidade inclusive que é cogitada pelo ex-deputado, caso o convite de Jaiminho se mantenha de pé. É bem provável que estas decisões saiam na segunda quinzena deste mês. Então, aguardemos!

Vai demorar 

Se os demais que pretendem disputar a cadeira mais importante do Município estiverem esperando o fim da pandemia do coronavírus para lançarem suas pré-candidaturas, podem “tirar o cavalo da chuva”. Isso levando em conta que Minas Gerais ainda nem atingiu seu pico, previsto para o próximo dia 15, e a previsão é de que esta situação demore mais do que se imagina.  Se estão com as decisões prontas, não há outra forma se não ir para as redes sociais, como fizeram Sargento Elton (Patriota) e Fernando Malta (PSL), e, agora, Marquinho Clementino. Claro que muitos ainda estão com algumas pendências, mas sem dúvida que, quanto mais cedo, melhor. Além disso, será possível saber se realmente entrará esta enxurrada de chapas na disputa. 

A cara dela 

Qualificar o trabalho da diretora-presidente do Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJS), Elis Regina a esta altura do campeonato, é perda de tempo. Explico: não precisa estar no meio da área de saúde, inserido na política, no ramo empresarial ou atuar na imprensa para ter certeza da sua competência profissional. Na verdade, é provável que a cidade toda saiba que são dois hospitais: um antes da sua chegada e outro após. Basta comparar, por exemplo, as ajudas vindas de Brasília, cruciais para a ampliação da unidade, criação de novos leitos e aquisição de equipamentos cruciais para a sobrevivência de alguns pacientes. Auxílios que só foram possíveis com suas inúmeras idas à capital federal porta a porta nos gabinetes dos deputados. Com tanto brilhantismo em sua gestão, é impossível falar em São João de Deus e não vir a imagem dela à cabeça. Competente, determinada e corajosa. Estes três adjetivos resumem muito bem quem é Elis, que mais uma vez, teve seu trabalho reconhecido e por puro merecimento, foi indicada para mais uma premiação.  Pode ter certeza que, se depender de torcida, a honraria já é sua. Os aplausos da coluna. 

O prêmio 

O Oscar da Saúde 2020 premiará os 100 mais influentes da década. Organizado pelo Grupo Mídia, visa homenagear as personalidades que mais se destacaram ao longo dos últimos dez anos, reconhecendo o trabalho de empresários, pesquisadores, executivos, autoridades públicas e profissionais que fizeram a diferença na área da saúde. Se o leitor deste PB pensa como sua autora a respeito de Elis, vamos ajudá-la a colecionar mais um prêmio em sua brilhante gestão à frente do São João de Deus. Basta votar no link https://eventosgm.grupomidia.com/cem-mais-influentes-saude/#votacao

 

Comentários
×