Aglomerações sem autorização e proteção marcam o fim de semana

Na região central de Divinópolis, a PM teve que ser chamada para conter briga e dispersar a multidão

Bruno Davi Bueno

Quem passou próximo às ruas Rio Grande do Sul, Minas Gerais e São Paulo no último fim de semana ficou perplexo com o que viu nas proximidades, no fim de semana. Uma multidão se aglomerou na noite de sábado, 28, e na tarde de domingo, 29, para se divertir sem nenhuma proteção. Antes mesmo de ser informada sobre o que estava ocorrendo, a Polícia Militar realizou na sexta, 27, sábado e domingo, várias operações naquela região. Segundo informações da 7ª Região da PM, as ações foram desencadeadas com intuito de prevenir crimes violentos e a proliferação do coronavírus, além de atender a moradores próximos, por chamadas decorrentes de perturbação do sossego.

Brigas e tumultos 

Em uma ocorrência durante a operação, a PM foi acionada por populares que relataram sobre uma briga que ocorria em um dos bares, onde as pessoas envolvidas no conflito estavam se agredindo e quebrando o estabelecimento. Os militares se deslocaram para o local, onde foram, segundo a PM, atingidos por garrafas de vidros lançadas por pessoas não identificadas. 

Em nota, a 7ª Região informou que, para cessar o conflito e se defenderem, os militares presentes na ocorrência utilizaram instrumentos de uso policial.

— Os militares utilizaram, por necessidade, instrumentos de menor potencial ofensivo para se defenderem, bem como garantirem a segurança e preservarem a vida e integridade de todas as pessoas presentes no local. Após intervenção policial, a briga dos populares foi cessada, restabelecendo a paz pública — ressaltou.

Desleixo da população 

A Vigilância Sanitária também participou na operação. Segundo a PM, o órgão interditou um estabelecimento que estava realizando um evento — show de pagode — que descumpria todas as normas sanitárias destinadas à prevenção do coronavírus. Além de não cumprir com o distanciamento, uso de máscaras e álcool em gel, o show contava com um número de participantes muito acima do permitido pelas normas. 

O evento, segundo informações da Semusa, é mais um dos milhares de shows, festas e bailes clandestinos que têm sido realizados frequentemente na cidade e que vão totalmente contra a situação da pandemia no município. Segundo dados divulgados pela Secretaria de Saúde ontem, Divinópolis conta com 19.116 notificações, 2.493 casos confirmados e 77 mortes causadas pelo coronavírus. Um dado curioso é que, das mais de 19 mil notificações da doença na cidade, mais de 10 mil são de pessoas com idade de 18 até 39 anos. Segundo a PM, essa faixa etária bate perfeitamente com as pessoas que estavam no evento. 

Balanço da operação

A PM ainda divulgou o balanço da operação realizada nos três dias. Ao todo, vários materiais foram apreendidos, suspeitos foram presos, veículos foram removidos e infratores foram punidos durante a ação da PM. 

Foram apreendidos uma pistola Taurus calibre 7,65m; oito munições calibre 32; um automóvel e um celular roubados; duas buchas e um cigarro de maconha.

Duas pessoas foram presas suspeitas de crimes de receptação e porte ilegal de arma de fogo; um mandado de prisão cumprido em desfavor de um foragido da justiça. Treze veículos foram removidos; 46 autos de infração de trânsito lavrados; um auto de infração lavrado pela Vigilância Sanitária com a consequente interdição de um estabelecimento comercial.

Também em nota, a PM ressaltou que novas operações serão realizadas na cidade visando garantir a segurança dos cidadãos e impedir aglomerações que contribuam para a proliferação da covid-19.

— A Polícia Militar ressalta que outras ações continuarão e abrangerão os mais diversos locais de Divinópolis, sendo que outros órgãos/instituições serão convidados a participar dessas ações — afirmou.

Comentários
×