Aglomerações no fim de semana geram preocupação em Divinópolis

Vigilância, com o apoio da PM, reforçou ações de fiscalização

Da Redação

Divinópolis encontra-se em uma situação delicada. Após sonhar com a possibilidade de entrar na onda verde do programa estadual Minas Consciente, a Prefeitura se vê obrigada a reforçar as ações de prevenção e fiscalização por estar próxima da onda vermelha. A regressão permitiria apenas a abertura de serviços essenciais no município. A nova pontuação da cidade deve ser repassada à Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) amanhã.

Dados

Divinópolis contabilizava, até ontem, 10.602 casos notificados de covid-19. Desse total, apenas 1.605 foram testados: 1.132 confirmados, 458 descartados e 15 em análise. O número de mortes confirmadas continua em 44 ‒ uma está em investigação.

O boletim divulgado ontem também aponta para 43 pessoas com quadro sintomático para a doença internadas no setor de enfermaria e outras 32 em Centros de Terapia Intensiva (CTIs).

Fiscalização

A Vigilância Sanitária, apenas na última semana, realizou 14 notificações, oito infrações e três interdições de estabelecimentos que não estavam cumprindo as normas. Segundo a Prefeitura, o crescimento de casos na cidade é acompanhado por novas denúncias de estabelecimentos em situação irregular.

— Devido ao aumento gradual de casos, os chamados também aumentaram, portanto, a secretaria busca atender ao máximo as demandas da população — informou.

Para restringir irregularidades e aglomerações, o Executivo proibiu o funcionamento do comércio, incluindo bares e restaurantes, nesta segunda-feira, feriado de 7 de Setembro. Quem descumpriu as determinações da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) estava sujeito à suspensão de seu alvará de funcionamento e à aplicação de multa de dez Unidades Padrão-Fiscal do Município de Divinópolis (UPFMDs) ‒ sem prejuízo da incidência das medidas cíveis, criminais e administrativas previstas em lei.

Lago das Roseiras

Outra ação preventiva foi o fechamento do Lago das Roseiras em Divinópolis, no domingo, 6, por ação da Vigilância Sanitária de Divinópolis, com o apoio da Polícia Militar (PM). Apenas quem tem casa no local pôde ultrapassar a barreira montada pela PM.

Segundo apurou o Agora, a megaoperação foi solicitada pela Vigilância, que teme regredir para a onda vermelha do programa estadual Minas Consciente. O medo é causado pela piora dos indicadores avaliados pelo Estado.

Como nos fins de semana e feriados são registrados pontos de aglomeração no local, a intenção é restringir o acesso e, consequentemente, as chances de disseminação da doença.

Piora

A Semusa divulgou nesta segunda-feira, por meio da Vigilância em Saúde, que o número de internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) aumentou 1.726% em comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados correspondem até o último sábado, 5, e foram registrados pelos hospitais Santa Lúcia, Santa Mônica, São João de Deus, São Judas Tadeu e UPA Padre Roberto.

Entre os 621 pacientes internados até o dia 29 de agosto, 351 foram hospitalizados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI), o que equivale a 56,5% dos casos. Em relação à residência, 58% são de Divinópolis, correspondendo a 360 pessoas.

No que diz respeito ao quadro clínico dos pacientes hospitalizados, 377 foram recuperados, 174 morreram, 68 continuam hospitalizados e duas pessoas foram transferidas para outro município. A maioria dos pacientes de Srag são do sexo masculino (54,2%) e a faixa etária predominante é de 60 anos ou mais (57,3%).

Em relação às doenças, um caso foi confirmado para Influenza, dois por outro agente etiológico, 274 foram confirmados para coronavírus, 329 não foram especificados e 15 casos ainda aguardam resultado laboratorial. Em relação aos casos de covid-19, 258 foram confirmados por critério laboratorial e 16 por critério clínico-imagem.

 

Comentários
×