Adeus à pioneira da política

Ricardo Welbert

A cena política de Divinópolis perdeu um dos seus maiores nomes no fim de semana. Morreu, aos 81 anos, Maria de Lourdes Martins. Ex-vice-prefeita, a viúva do ex-deputado estadual Jaime Martins do Espírito Santo (Jaimão) e mãe do deputado federal Jaime Martins (Jaiminho) ganhou reconhecimento pela atuação política e social no Centro-Oeste mineiro.

Dona Maria Martins, como sempre foi chamada, estava internada desde o fim do ano passado no Hospital Felício Roxo, em Belo Horizonte, onde se tratava de um câncer no pâncreas. Deixa cinco filhos, 14 netos e três bisnetos. Emocionado, Jaiminho recorda a mãe.

— Bom gosto, elegância e desprendimento ao fazer o bem a instituições e a quem precisa. Dona de uma trajetória marcada por lutas e conquistas inspiradoras, foi a primeira vice-prefeita de Divinópolis e engrandeceu não só sua família, mas todos os lugares por onde esteve — diz.

Além de Jaime, os filhos Marisa, Maurílio, Geraldinho e Luiz Cláudio assinaram uma nota em que lamentam pela perda e agradecem pelas mensagens de carinho que recebem.

– Dona Maria sempre foi o esteio da nossa família. Nossa força maior. Referência de amor e de vida, não só para nós, seus filhos, netos e bisnetos, mas para toda a população de Divinópolis, Nova Serrana, Perdigão e inúmeras cidades a quem ela abraçou com amor e devoção. Ela deixa um legado maravilhoso e nós só temos que agradecer a Deus por tudo que ela nos proporcionou. Estamos devastados, mas cientes de que Deus a acolheu com o seu mais profundo amor — dizem.

Despedida

O corpo de Dona Maria Martins começou a ser velado às 7h de domingo, 28, na Sociedade São Vicente de Paulo. Parentes, amigos, autoridades, artistas e outros admiradores compareceram.

No fim da tarde, uma multidão compareceu ao cemitério do Centro. Próximo ao caixão, Jaiminho deu o último adeus à mãe. Emocionado, ele agradeceu pelo carinho que ele e toda a família Martins têm recebido após a perda da mãe.

— Muito obrigado a todos pela presença e pelas orações e homenagens. Tenho certeza de que pelo que ela foi em vida, está agora em um bom lugar. Talvez até melhor do que aqui — disse.

A sambista Tia Elza, que compôs uma música em homenagem aos 80 anos de Dona Maria, cantou a melodia.

— Ninguém melhor do que nós para falar de você, ninguém melhor do que nós para poder te enaltecer. Dona Maria, nosso mundo é você. Maria é o nome dela. Fácil de expressar. Dignidade de pessoa estamos a exaltar. Mãos estendidas à população, grandeza de coração, é Dona Maria, nossa fonte de inspiração — diz a letra.

Repercussão 

Além de parentes, amigos e muitas outras pessoas que admiravam Dona Maria Martins, muitos políticos e autoridades fizeram homenagens a ela. A vereadora Janete Aparecida (PSD) divulgou nota na qual destaca o fato de ela ter sido a primeira mulher a ocupar o cargo de vice-prefeita na cidade. Afirmou que Divinópolis perdeu uma das suas maiores lideranças.

— Dona Maria Martins foi para mim uma grande inspiração. Mulher de fibra, autêntica, jamais teve medo de falar o que pensava. Uma mulher à frente do seu tempo. Marcou a história de Divinópolis e inspirou muitas outras mulheres — disse.

O secretário municipal de Cultura, Osvaldo André de Mello, homenageou Dona Maria Martins em forma de poesia.

— Mergulhada em nuvens altíssimas, manto azul de brigadeiro, pérolas! Doces rosas brancas, que ultrapassam o corpo, na promoção da paz. Mínimas violetas lilases. Requinte austero e humildade. Maria Martins, mergulhada em nuvens branquíssimas, voa! O mundo esquecido. Puro espírito, embora esboçasse um sorriso e, sob as pálpebras, os olhos espiassem. A moradora da Vila Vicentina, a fome saciada, vestida de domingo, pronunciou: “Vou ver minha Rainha!” A caminho de Deus, ajoelhada na soleira, Maria Martins! A moradora se conforta, porque a mais próxima santa protetora ergue-se e ouve a ruidosa alegria da corte celestial — diz.

O prefeito Galileu Machado (MDB) decretou neste sábado luto oficial de três dias. No texto, ele ressalta a importância da homenageada nos cenários político e social de Divinópolis e região.

— Notadamente em razão das atividades filantrópicas que promoveu e capitaneou ao longo de décadas, na busca exclusiva do bem comum e do amparo aos desvalidos. A importância de sua estatura política na condução de relevantes causas para o destino de nossa cidade, inclusive na condição de vice-prefeita, na gestão de 2001 a 2004 — afirma.

 

Comentários
×