Acusado de matar segurança continua preso

Prisão preventiva de Pedro Lacerda foi decretada em audiência de custódia

Da Redação

É falsa a informação que Pedro Lacerda, 32, empresário acusado de matar o segurança Edson Carlos Ribeiro, 42, em um evento no Parque de exposições ocorrido na noite de sábado, saiu da prisão. A especulação ocorreu durante a tarde de ontem, quando populares levantaram a hipótese que o acusado teria sido solto após pagar uma fiança de R$ 50 mil.

O homem continua preso na unidade Floramar. O juiz Mauro Riuji Yamane decretou, ontem, a prisão preventina de Pedro Lacerda em audiência de custódia. Na oportunidade, foi definido a permanência do suspeito com o andamento das investigações. O suspeito afirmou que, durante abordagem policial, ele não sofreu violência ou ilegalidade por parte das autoridades. 

O crime

Edson foi morto após ser agredido por um soco inglês. Segundo informações do Samu, a ocorrência se deu por volta de 23h30, na avenida Paraná, bairro São Judas Tadeu. De acordo com testemunhas no local, a vítima estava trabalhando como segurança em um evento no Parque de Exposições e foi atingida na traqueia após chamar a atenção de um homem.

Confira o pronunciamento da organização do evento:

"A produção do evento "A Revoada" manifesta o seu profundo pesar pela morte do segurança Edson Carlos Ribeiro, ocorrida na noite de ontem (25/09).Edson era um trabalhador querido por todos, que sempre cumpriu seu dever com seriedade, compromisso e honestidade.

Na data de ontem, Edson estava apenas realizando o seu trabalho, buscando o seu sustento e de sua família, e teve sua vida ceifada, de forma covarde.

Os primeiros socorros foram prestados ainda no local, no entanto, os socorristas não obtiveram êxito nas manobras para tentar salvar a vida de Edson. Após isso, o evento foi encerrado, e os demais shows que ocorreriam na noite, cancelados.

Estamos em LUTO pela perda de um profissional e colega exemplar, que cumpria suas funções com simpatia e dedicação.

A produção do evento está contribuindo com as investigações do caso e à disposição das autoridades policiais e judiciais para demais esclarecimentos.

Neste momento de dor, estamos em solidariedade e apoio à família, amigos e colegas de Edson, por esta perda irreparável. Por fim, desejamos e clamamos para que a justiça seja feita".

Comentários
×