Ações marcam o Dia Mundial do Rim

Da Redação

Na próxima quinta-feira, 14, celebra-se o Dia Mundial do Rim. Em Divinópolis, a Associação dos Doentes Renais e Transplantados de Divinópolis e Região Centro-Oeste (Adortrans) realiza uma série de ações alusivas à data. A programação do evento começou no último domingo, 10, com carreata e missa. As atividades seguem durante a semana.

Adortrans

A instituição atende, atualmente, 300 pacientes, prestando assistência aos transplantados e para quem faz hemodiálise. Segundo a secretária da Adortrans, Kátia Martins Macedo, entre os serviços prestados pela associação, está o transporte dos necessitados.

— Nós fornecemos medicamentos, suplementos alimentares, cestas básicas e transporte de casa até as sessões de hemodiálise, pois a Prefeitura não disponibiliza veículos. Também são feitas viagens para Belo Horizonte, para a realização de exames pré-transplante — explica.

De acordo com Kátia, um dos objetivos da instituição é conseguir trocar os veículos atuais, podendo oferecer maior conforto aos pacientes.

— Nosso sonho seria conseguir veículos novos para oferecer mais conforto. Também gostaríamos de ter todos os meses os suplementos. Nossa prioridade é o paciente, não deixar faltar medicamento e transporte — esclarece Kátia.

A sede da Adortrans passa atualmente por uma reforma. Porém, a fim de priorizar o tratamento e não deixar faltar os recursos necessários para o atendimento, a obra é paralisada periodicamente. Segundo a instituição, o número de pacientes tem crescido consideravelmente, mas os medicamentos têm conseguido atender a demanda.

— Frequentemente, fazemos campanha para angariar fundos. Nosso objetivo é esse, ter os suplementos e poder trocar veículos para oferecer mais conforto aos pacientes. Não têm faltado medicamentos. Nossa meta é melhorar, pois tem aumentado muito o número de pessoas atendidas. Ano passado, tivemos um aumento significativo de casos — informa.

Obstáculos

O presidente da Adortrans, Maldo de Oliveira, informou ao Agora que uma das principais dificuldades tem sido se manter financeiramente.

— A principal dificuldade enfrentada pela Adortrans é que, cada vez mais, aumenta o número de assistidos e as doações estão cada vez mais difíceis; já um dos maiores obstáculos dos pacientes, sem dúvidas, é o tratamento, que a cada dia se torna mais doloroso e desgastante — afirma Maldo.

Ainda segundo o presidente, cerca de 260 pacientes de Divinópolis e região fazem hemodiálise na cidade. O transplante, afirma Maldo, é a única alternativa para essas pessoas, e todos os custos são arcados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Programação

As ações promovidas durante esta semana visam informar e conscientizar os cidadãos sobre a prevenção da Doença Renal Crônica (DRC). As atividades tiveram início no último domingo, 10. Uma carreata até o Parque de Exposição foi realizada às 8h. Em seguida, houve uma missa com o frei Leonardo Lucas Pereira. A entrada foi a doação de um quilo de alimento não perecível.

Na quinta-feira, 14, Dia Mundial do Rim, uma carreata ocorre na região Central da cidade. Haverá também a distribuição de panfletos, divulgando informações sobre cuidados com os rins. Já no sábado, 16, às 8h, acontece uma caminhada saindo da praça da Catedral e indo em direção ao quarteirão fechado da rua São Paulo. No local, segundo informa a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), deve haver a presença de profissionais da saúde esclarecendo dúvidas. Informações sobre o funcionamento da hemodiálise e modos de prevenção de doenças renais também serão fornecidos a quem passar pelo quarteirão fechado.

Fechando a celebração, no dia seguinte, 10, será servido um almoço beneficente no Lions Candidés, no bairro Esplanada. Mais informações podem ser obtidas através do (37) 3215-1284.

CSSJD

A unidade de Nefrologia do Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD), em parceira com a Universidade de São João Del-Rey (UFSJ), realiza atividades durante a manhã e a tarde do próximo dia 14. Segundo dados da organização, 265 pacientes em hemodiálise e 34 pacientes em diálise peritoneal são atendidos pela unidade.

Às 8h, profissionais do CSSJD e a Liga de Nefrologia da UFSJ esclarecem dúvidas sobre doenças renais e doação de órgãos. Também haverá a checagem da pressão arterial. Essa primeira parte da programação acontece no estacionamento do Complexo.

A partir das 13h, no auditório da UFSJ (rua Sebastião Gonçalves Coelho, 400, Chanadour), inicia-se uma série de palestras sobre doenças renais, causas e prevenções.

Doença

Um ponto destacado pela entidade é o avanço silencioso da doença em seus estágios iniciais. Segundo a SBN, a Doença Renal Crônica tende a progredir sem demonstrar sinais claros. Resultado disso, além da falta de políticas públicas de prevenção, é o diagnóstico tardio da doença, com o funcionamento dos rins já comprometido. Esse órgão do corpo é responsável por “regular a pressão, filtrar o sangue, eliminar toxinas do corpo, controlar a quantidade de sal e água do organismo, produzir hormônios que evitam a anemia e as doenças ósseas, entre outras”, como informa a entidade nacional. 

A presença da doença pode ser notada através de exames simples, como de urina e a dosagem de creatina no sangue.

Comentários
×