Acertado acordo para redução de tarifas de luz

Jorge Guimarães

A utilização da energia solar fotovoltaica em residências e empresas já está se tornando realidade no país desde os meados do ano 2000, quando começou a ser divulgada no meio da construção civil. Pura, renovável e sem causar danos ao meio ambiente, ela vai ao encontro da causa de um mundo mais limpo sem poluição e aquecimento solar. E dando um passo importante para o futuro, na última terça-feira, a Associação Comercial e Empresarial de Minas (ACMinas), a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e a Mori Energia assinaram acordo com o objetivo de estabelecer uma cooperação comercial no uso da energia solar fotovoltaica, buscando reduzir os custos para aumentar a competitividade do empresariado mineiro. Em primeira instância, este objetivo será focado no empresário, com consumo mensal acima de 500KWh, que terá descontos em troca de energia distribuída pela Cemig.

Foco

A ideia está voltada para o ramo de padarias, restaurantes, bares e outros estabelecimentos de mesmo porte. O empresário adquire uma cota de geração de energia da ACMinas, a ser instalada no fio da Cemig. Assim, o comerciante vai gerar sua própria energia e receber o boleto com desconto, que pode chegar a 22%, por ter realizado essa geração.

Opiniões

Para o empresário do ramo alimentício Paulo Roberto Santos, a ideia é boa e bem-vinda, mas vai esperar para ver na prática como funciona.

— Tudo que vem para economizar é bem-vindo, mas temos que ver como vai funcionar. Primeiramente temos que nos inteirar do assunto para depois nos certificarmos dos ganhos — avaliou.

Comentários
×