Academia poderão abrir em Divinópolis

Discussão e elaboração de novas diretrizes ocorreram ontem

Da Redação

As academias de ginástica terão protocolos de reabertura na onda amarela do plano Minas Consciente, criado pelo governo estadual para garantir a retomada segura das atividades econômicas. Inicialmente, a previsão era que esses estabelecimentos só entrassem em funcionamento na onda verde, quando estão liberadas atividades não essenciais com alto risco de contágio.

A flexibilização foi deliberada nesta terça-feira, 18, pelo Comitê Executivo, que analisou o cenário atual da pandemia e identificou a possibilidade de antecipar a reabertura do setor. Mesmo assim, o funcionamento completo desses estabelecimentos só será permitido na onda verde e os protocolos da onda amarela serão mais restritivos.

O governador Romeu Zema (Novo) destacou que a decisão considerou, principalmente, a saúde dos mineiros e que as regras de higiene e distanciamento serão criteriosas.

— O nosso comitê, juntamente com a Secretaria de Saúde, está definindo protocolos para a reabertura gradual, e com muito critério, das academias de ginástica. O protocolo vai exigir, por exemplo, distanciamento mínimo entre os frequentadores, agendamento para garantir que não haja lotação superior àquela considerada segura, e também higienização bem rígida dos equipamentos, para evitar a transmissão por meio das superfícies — afirmou.

Agências de viagem

Outra mudança deliberada pelo Comitê Executivo foi a transferência também das agências de viagem da onda verde para amarela do plano. O grupo considerou que a atividade não tem risco de grandes aglomerações, além de ser importante para garantir viagens de negócios e o fortalecimento de outras cadeias produtivas, como aeroportos, hotéis e pousadas.

O governador Romeu Zema também avaliou que a abertura das agências permitirá que as pessoas programem viagens futuras.

— Muitas pessoas já pretendem programar seus passeios, para quando eles forem possíveis, e, por isso, as agências são tão importantes. Além de serem grandes geradoras de emprego — explicou, lembrando ainda que já é possível a venda on-line de pacotes.

As mudanças definidas passam a valer a partir do próximo sábado, 22, após a publicação no Diário Oficial.

Dados

O boletim epidemiológico divulgado ontem pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) aponta para 8.427 notificações suspeitas de covid-19. Desse total, apenas 1.312 foram testados: 885 confirmados, 400 descartados e 27 em análise. Dos pacientes diagnosticados com a doença, 822 já se recuperaram.

Atualmente, há 26 pacientes internados em UTIs particulares e privadas da cidade; a ocupação dos leitos exclusivos do setor para pessoas com quadro sintomático para coronavírus é de 31%. 

Conforme informou o Estado, as microrregiões precisam melhorar seus indicadores caso desejem avançar para a próxima onda e aumentar a possibilidade de flexibilização por meio do Minas Consciente.

Encontro

Em uma videoconferência realizada na última sexta-feira 14, o chefe de gabinete de Minas Gerais, João Pinho, e o subsecretário de Gestão Regional, Darlan Pereira, se reuniram com os gestores municipais da Macrorregião Oeste para tratar das medidas protetivas e da adesão ao Plano “Minas Consciente – Retomando a economia do jeito certo” ou de seguir o caráter vinculante da Deliberação 17 do Comitê Extraordinário Covid-19 de Minas Gerais por parte das prefeituras.

Na ocasião, o chefe de gabinete afirmou que a nova reformulação do Minas Consciente possibilita que a flexibilização ocorra de forma coordenada para que as atividades econômicas mantenham as medidas individuais, incluindo  as recomendações sanitárias junto aos munícipes como o uso de máscara, higienização das mãos e o distanciamento social. 

O superintendente Regional de Saúde de Divinópolis, Alan Rodrigo da Silva, ressaltou a importância do programa para uniformizar o combate à pandemia.

— A pauta do Minas Consciente é muito importante para trabalharmos em um protocolo único para toda a Macro e dessa forma vislumbrar um cenário mais próximo à normalidade — afirmou.

Pinho destacou o cenário epidemiológico da Macrorregião Oeste e ressaltou também o número de casos da região, a taxa de isolamento, a taxa de ocupação de leitos de enfermaria e de UTI, e, além disso, falou sobre as principais mudanças do programa como a mudanças de cores, a unificação dos protocolos e aplicação da lógica modular para bares e restaurantes. 

— É necessário fazer as medidas de isolamento e ao mesmo tempo manter a atividade econômica e, assim, manter os empregos — pontuou o chefe de gabinete.

O promotor do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e representante do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Defesa da Saúde (Cao-Saúde) na Macrorregião Oeste, Marcus Vinícius Lamas,  reforçou com os presentes que há uma decisão judicial, em que o Município deve seguir a Deliberação 17 ou a 39, sendo que a primeira é mais restritiva que o Minas Consciente, caso não venham a aderir ao programa e pontuou que “vamos caminhar sempre para o diálogo, pois já há uma posição jurídica. A maioria aqui aderiu e o programa é a oportunidade de trabalharmos em rede”.

Macrorregião Oeste

Dos 53 municípios da Macrorregião Oeste, 33 aderiram ao programa Minas Consciente – até o momento da reunião. A população impactada diretamente pelo programa na Macrorregião Oeste é de mais de 975 mil habitantes. Dos 33 municípios, 11 possuem menos que 30 mil habitantes. Na nova versão do Minas Consciente, esses municípios têm um tratamento diferenciado. Por exemplo, caso a microrregião ou a macrorregião esteja na onda vermelha, esses municípios com menos habitantes podem optar por uma onda menos restritiva, nesse caso a onda amarela. Para isso, devem cumprir com alguns critérios estabelecidos pelo programa.

Comentários
×