Abre alas que aí vem ele

Leila Rodrigues

 

Ô abre alas que ele quer passar! Aí vem ele, o festeiro mor do nosso país, o carnaval brasileiro. Quer você goste ou não, ele vai acontecer nos quatro cantos do país. Que atire a primeira pedra, quem nunca se viu no meio de uma roda ou de uma corrente humana dançando e cantando uma música de carnaval?

Ele já arrastou milhões de pessoas, já trouxe turistas do mundo inteiro para o nosso país, já foi palco de grandes amores e por ele foram reveladas competências da música e da arte de criar e encantar. Ele cresceu tanto que diversificou. Você pode desfilar na avenida, pode ir atrás do trio elétrico, frevo, maracatu, blocos de rua ou torcer veementemente pela sua escola de samba favorita.

A festa hoje ficou muito relativa. O carnaval depende da idade, do estado civil, da conta bancária e de um monte de outros fatores. Se a pessoa está solteira, sobrecarregada de amor para dar, o carnaval é passagem comprada para a Bahia. Muito Axé e beijo na boca. Se a pessoa vive no Recife ou nos arredores, carnaval é compromisso. Vai a família inteira para a rua. Não tem desculpa. É parte da vida daquelas pessoas, algo maravilhoso de se ver! E ainda tem aqueles que aproveitam os dias de carnaval para fazer um retiro de silencio ou de meditação que tanto queriam. Se este é o seu caso, corre lá que dá tempo!

O importante é deixar que cada um curta o seu carnaval do seu jeito. O que não dá para aceitar é a pessoa passar os quatro dias de folia literalmente implicando com o carnaval do outro. A música que é ruim, a roupa que é pequena demais, as mulheres depravadas, o dinheiro que gastou no desfile. Esse aí perdeu a chance de aproveitar os dias da festa. Tá certo que o carnaval de hoje é muito diferente do carnaval das marchinhas, mas, o quê não é diferente? Tudo mudou; os comportamentos, as opções, os gostos e principalmente as pessoas! Por que, com o carnaval seria diferente? Para com essa implicância ridícula e segue sua vida! O dia que aprendermos a conviver com as escolhas alheias, aí sim, teremos uma grande festa! Um carnaval de boas energias.

Agora, se você como eu, não vai poder desfilar na Mangueira como gostaria; bem, para nós carnaval vai ser livro, gaveta arrumada, descanso, faxina na casa, enfim, tudo que a gente vai adiando, adiando e reza para chegar um feriado que nos dê a chance de colocar em ordem. Cada um escolhe a fantasia que lhe convém!

leilarodrigues-palavras.blogspot.com.br

Comentários
×