Aberto inquérito para investigar denúncia de sequestro de criança em Divinópolis

Rafael Camargos

A delegada Maria Gorete Rios começou a investigar, ontem, o caso da menina que teria sido sequestrada pelo pai e a madrasta na tarde de terça-feira, 2, em Divinópolis. A mãe da menina foi à Polícia Militar (PM) e registrou queixa. A Polícia Civil acompanha o caso.

Conforme disse a delegada, o caso ainda está sob investigação e a mãe alegou em depoimento que o pai da criança esteve na cidade com a atual mulher e que marcaram um encontro no supermercado. Lá, conversaram, tomaram um lanche e em um determinado momento, com o descuido dela ele colocou o a menina no veículo e foi embora com ela.

Para a delegada, em tese, o ato praticado pelo pai da menina qualifica subtração de incapazes, presente no artigo 249 parágrafo 1°, que diz que ou o pai ou a mãe autor do delito, desde que a outra pessoa tenha a guarda.

— Estamos mandando uma carta precatória para Goiânia, e lá a delegacia vai entrar em contato, interrogá-lo, encaminhar os documentos e, se for o caso dele não ter direito algum de ficar com a criança, a delegacia vai entrar com o Conselho Tutelar de lá, que por sua vez entra em contato com o daqui pra resgatar a criança. Mas teríamos que ver os documentos que ele tem mãos. Se ele não tiver, praticou o crime — frisou a delegada.

 

Análise de documentos

 

A delegada explica ainda que o importante agora é saber se os documentos da mãe são suficientes e determinam que o pai não possa ficar com a menina, seja na cidade, ou outro estado.

— Preciso analisar os documentos da guarda dela, documentos abeis, decisões judiciais. Não é ata de audiência, não é outro documento do processo. É sentença transitada e julgada, informando que a guarda é dela e que ele não tem nenhum direito de levar a criança — argumentou.

A delegada continua dizendo que na atual conjuntura, o pai da menina ainda é suspeito e que se ele tiver cometido o crime e não estiver realmente em Goiânia, será rastreado.

 — Se ele tiver cometido o crime temos condições de rastreá-lo — disse e continuou:

 

— Se ele tiver este direito, ele não cometeu nenhum crime ou delito — finalizou.

 

Desespero nas redes sociais


Segundo o relato da mãe nas redes sociais, na última terça-feira, 2, o pai da menina, que não mora em Divinópolis, veio até a cidade e marcou um encontro com ela, para ver a filha e pagar a pensão.

Ainda de acordo com a mãe, em um supermercado na avenida 21 de Abril, no Centro, enquanto ela fazia compras, o pai e a atual esposa sequestraram a menina e a colocaram dentro de um carro preto.


Ainda nas redes sociais, a mãe disse que a filha pode ter sido levada para Goiânia e que teme que o pai possa matá-la.

O supermercado cedeu imagens do circuito interno de segurança à mãe, com fotos do casal, e tudo já está com a Polícia Civil.

 

Comentários
×