Aberta Semana Nacional de Trânsito

Números de acidentes na área urbana de Divinópolis impressionam

Rafael Camargos 

Os chefes das polícias Militar e Civil participaram ontem da abertura da Semana Nacional de Trânsito de Divinópolis. O delegado-geral de Polícia Civil e chefe do 7º Departamento com sede em Divinópolis, Ivan José Lopes, o delegado regional, Leonardo Pio, o de Trânsito, Marcelo Nunes Júnior e o comandante do 23º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Marcelo Augusto dos Santos estiveram presentes no evento.

Com o tema “Década mundial de ações de segurança no trânsito – 2011/2020: Minha escolha faz a diferença”, diversas autoridades participaram da abertura da Semana Nacional de Trânsito em Divinópolis. O evento também comemorou os dez anos da Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (Settrans).

A ação vem num momento importante, uma vez que de acordo com o último levantamento feito pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), desde a inauguração já foram registrados vários acidentes de trânsito na área urbana.

Levantamento

Os números do Samu mostram que 119 acidentes foram entre carros e motos. Na sequência vêm aqueles envolvendo motociclistas, com 51 registros. Em terceiro lugar, vêm os atropelamentos, com 44.

O levantamento segue com 29 casos de batidas entre motos, 23 colisões entre veículos diversos, 20 de carros contra carros, 11 capotagens e oito quedas de bicicleta.

Empatadas com quatro casos cada estão os casos que envolvem carro e bicicleta e também os anteparos e automóveis.

Com três casos, os acidentes envolvendo duas ou mais bicicletas. Fechando o ranking aparecem as batidas entre motos e bicicletas, com duas situações. Estes números foram contabilizados em 69 dias (7 de julho a 14 de setembro).

Desafio 

De acordo com a Settrans, a redução das lesões e mortes no trânsito é um desafio mundial. Mais de um milhão de pessoas de todas as nações são vítimas fatais de acidentes de trânsito.

Segundo a organização mundial de saúde, há cinco fatores que causam o maior número de mortes e lesões no trânsito, entre os quais está falar ou manusear o celular enquanto dirige ou atravessa a rua.
Segundo o vice-prefeito, Rinaldo Valério (PV), este tema possibilitará que os órgãos e entidades do sistema nacional de trânsito promovam junto à população em geral ações de segurança a partir de um aspecto pontual.

— É uma oportunidade para suscitar reflexões, incentivar discussões e criar atividades que explorem com profundidade a real importância e necessidade de fazer a escola certa para preservarmos vidas — afirmou.

O secretário municipal de Trânsito e Transporte, Waldo Martino que a Prefeitura de Divinópolis criou a Settrans há 10 anos, com funções claras e objetivas, para que a população se sentisse mais segura em meio a um trânsito cada vez mais intenso, com obras, ações e serviços.

— Nestes 10 anos de existência da Settrans agradeço a todos que por aqui passaram e também aos servidores que se encontram hoje nesta secretaria, pois sempre se preocupam em prestar um serviço de qualidade ao cidadão divinopolitano, sem deixar de ser pautar nas normas do Código de Trânsito Brasileiro — finalizou.

Simulação

 Ainda ontem, o Samu realizou um simulado na rua Paraná, na linha férrea, onde há uma passagem de nível. No local, um trem bateu em uma caminhonete com duas pessoas no interior do veículo.

De acordo com o aspirante do Corpo de Bombeiros, Paulo César Soares, para socorrer às vítimas o Samu e os Bombeiros foram acionados e trabalharam juntos no resgate simulado. Além de alertar para os perigos no trânsito, a simulação também mostrou a importância da integração dos serviços.

— A atuação em conjunto é muito importante tanto para os bombeiros quanto para o Samu. E, claro, quem ganha é a população. Quanto mais recursos disponíveis para atender à população, melhor será. No caso de uma vítima de acidente real ela terá uma chance de sobrevida muito maior do que se não houvesse esse atendimento integrado — disse.

O diretor executivo do Samu, José Marcio Zanardi, também pontuou sobre a integração e reforçou que ações como estas auxiliam no desempenho das equipes, que há pouco mais de três meses atuam na cidade e região.

— Um simulado como este ajuda a melhorar a assistência para que possamos ser mais ágeis em todos os processos. Neste tipo de acidente, a agilidade e rapidez no atendimento são muito importantes e podem significar minutos preciosos na vida da vítima — reforçou.

 

Comentários
×