Abastecimento nos postos volta ao normal, mas combustíveis encarecem hoje

Jorge Guimarães

A greve nacional dos transportadores de combustíveis deixou alguns postos sem abastecimento na cidade. De acordo com o  Sindicato das Empresas Transportadoras de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (Sindtanque), o movimento aconteceu em todo o Estado e foi devido a alta carga tributária sobre os combustíveis, como PIS, Confins e ICMS, o que faz com que as empresas de transporte tenham um prejuízo.

O empresário do ramo Alvimar Mourão afirma não ter tido problemas com desabastecimento, mas ficou sabendo que alguns postos da cidade ficaram sem combustível, porém, segundo ele, nada que comprometesse a vida do consumidor no fim de semana.

— Com o fim da greve na sexta, os postos já começaram a receber os produtos no próprio sábado mesmo, dependendo de sua logística. A partir de então tudo voltou ao normal — avaliou.

O Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Minas Gerais (Minaspetro), entidade que representa os cerca de quatro mil postos de combustíveis do Estado, foi conhecimento que o movimento grevista iniciado pelos transportadores de combustíveis na última quarta-feira, 6, terminou no sábado,9.

Nota

O Minaspetro pontuou em nota que não faz levantamentos para identificar se os seus representados, os postos, ainda sofrem com a falta de combustível; toda e qualquer informação obtida é repassada de forma passiva pela revenda, ou seja, os donos de postos ligam para o Minaspetro a fim de informar a falta de combustível em seu respectivo estabelecimento.

— Desta forma, acreditamos que o reabastecimento de produtos em postos que sofreram com a falta de combustíveis deve ser normalizado em breve, assim que os veículos que transportam para os respectivos postos chegarem ao seu destino. Ressaltamos, também, que não é possível estimar o período para a normalização — completa a nota.

Por fim, o Minaspetro entende que demais esclarecimentos sobre o fim do movimento grevista cabem ao sindicato dos transportadores.

Aumento

E seguindo a política de preços para a gasolina e o diesel, que tem como base a cotação de paridade de importação, a Petrobras aumenta, novamente, a partir de hoje, o combustível. Assim a gasolina terá alta de 1,4% e o diesel 1,8%. Mas, promete oscilações de quedas e aumentos para os próximos dias, os quais, nem sempre, chegam à bomba.

Comentários
×