A última das casinhas

Amnysinho Rachid

Neste domingo, acordei com o barulho do trator começando os trabalhos para derrubar duas casinhas antigas da esquina, que já estavam muito desgastadas pelo tempo. 

A cidade cresceu e a cada dia temos menos espaços para os nossos carros. Se você der uma rodada na cidade, vai notar que não existe mais estacionamento. O que era um problema apenas da área central, agora não é mais: os maiores bairros também vivem esse mesmo dilema, um grande câncer para administração pública. 

O que nos fez voltar ao tempo é que uma das casinhas derrubada era a última remanescente da tão famosa zona boêmia, a casa da D. Clara.

Aqueles que são da terrinha e têm mais de 50 anos com certeza lembram da zona boêmia, local de grande alegria e das mulheres de vida fácil, que de fácil não tinha nada.

Essa área, hoje conhecida como Vila Central do Divino e que tem um dos metros quadrados mais caros da cidade, era uma um emaranhado de ruelas que começava na esquina avenida 7 de Setembro com Cel. João Notini, descendo até na rua Serra do Cristal, tendo no meio as ruas São João, beco São Jorge, Pç. do gato, Travessa Osvaldo Cruz. A maioria sem calçamento e com um mundo de casebres que à noite se transformava numa festa só.

Ali existiam as prostitutas famosas, vários bares e tudo mais em termos de contravenções e muitos casos pitorescos. Como não poderia ser diferente em um ambiente como este, existiam os malandros, os valentões, os perigosos e muitos crimes. As brigas eram corriqueiras e sempre acabavam em mortes.

Ali existiam as próprias leis e quase todos tinham um apelido, dizem que era muito comum encontrar os poderosos da cidade enrabichados por uma prostituta, em muitos casos a tiravam da vida e montavam casa em outro local da cidade.

Me lembro muito, na época da infância, de passarmos brincando de pique, correndo pelas pitorescas ruelas e morrendo de medo quando alguém gritava: “Olha a Rapa”, aí a gente caía na braquiária, e pernada a todo vapor.

Nesta época, existia também a turma da zona que, quando descia para a savassinha, fazia o maior estrago.

Eu, que moro na região, brinco muito com meus amigos que somos da turma da “zona” e sempre felizes, temos a pele boa, pois aqui o sexo ainda está no ar e tudo que se planta brota e dá muito.

E nós continuamos aqui, na TOK EMPREENDIMENTOS ajudando a realizar sonhos. Rua Cristal, 120, Centro.   

rachidmendes@hotmail.com                 

Comentários
×