A responsabilidade

Editorial

Já faz um tempo que este diário vem mostrando à população as atitudes exageradas, e até mesmo descabidas, que alguns vereadores vêm tomando nesta legislatura. A situação beira a loucura quando um parlamentar chama o secretário municipal de Trânsito e de Transporte de “bola murcha”. Mais loucura ainda, quando o povo senta e aplaude tal situação. O meio político se perdeu, é verdade. Desde que o Brasil é Brasil, a corrupção reina por todos os lados, e não há nada que consiga parar. Já inventaram o Portal da Transparência, para acompanhar os gastos dos municípios, estados e União. Já inventaram o Ministério Público, deram poder de investigação à Policia Federal, mas nada, absolutamente nada, é capaz de parar as malas, as cuecas ou os apartamentos cheios de dinheiro, muito menos os “laranjas”.

Em meio a tudo isso, há um povo ignorante intelectual. Em outras palavras, um povo alfabetizado, mas incapaz de interpretar texto, pensar, raciocinar o básico. E, todos irão concordar que, de nada adianta saber ler e escrever se a pessoa não sabe raciocinar. Cada vez mais o país é tomado por esses ignorantes intelectuais, que são movidos pela paixão e se deixam levar por qualquer pensamento. Se você falar que existe um kit gay, o ignorante intelectual será incapaz de raciocinar, se dar o benefício da dúvida, ou apenas ir ao Google pesquisar se existe mesmo. Ele irá pegar aquela ideia para si, e defender com unhas e dentes o fim de algo que nunca existiu.

Aproveitando essa “onda” de ignorantes intelectuais, que se acham a “última bolacha do pacote”, vêm os políticos brasileiros e as redes sociais. O exemplo está aí. O Brasil elegeu um meme de rede social como seu presidente. Para quem chegou até aqui e está se perguntando: “um meme?”. Nós explicamos. Jair Bolsonaro só começou a se destacar na mídia por causa de suas participações no programa CQC da Band. Sim! O CQC, aquele programa de humor ácido, de humor crítico. Dali começou sua trajetória até a Presidência da República. Foi dali que seus vídeos, suas lives e seus tweets começaram a cair no gosto de parte dos brasileiros.

Surfando nessa onda de redes sociais, de povo ignorante intelectual, estão os vereadores de Divinópolis, que cada dia alimentam mais a população com discursos de ódio, com vídeozinhos que não resolvem absolutamente nada, e com um belo exemplo de desrespeito. Nessa onda estão os parlamentares que se autointitulam “justiceiros do povo”, mas solução mesmo não trazem nenhuma. Divinópolis está um verdadeiro caos. A coisa está muito, muito feia. Se tem um buraco, o que eles fazem? Um requerimento solicitando que a Prefeitura conserte? Não! Vão lá, gravam vídeos, chamam o prefeito disso e daquilo, alimentam mais ainda a loucura do povo, e o buraco continua lá.

Se o trânsito no parque de exposições é alterado na época da Divinaexpo, como todos os anos, o que eles fazem? Tentam se inteirar sobre o assunto, para repassar a informação correta? Não! Gravam vídeos, com o mesmo discurso contra o prefeito, e de quebra chamam o secretário de bola murcha. Vai mudar alguma coisa? Não! Só alimentarão ainda mais o ódio do povo, e se tornam cada vez mais responsáveis pelo caos que a cidade está.

 

 

Comentários
×