A poucas horas da votação, Galileu tenta agradar na pauta do IPTU

Pressionado, prefeito faz nova jogada

Ricardo Welbert 

A poucas horas da votação da proposta de reajuste do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), o prefeito de Divinópolis, presidente da Câmara, Adair Otaviano (PMDB), recebeu um pedido do prefeito Galileu (mesmo partido) para retirar o projeto de lei complementar EM 005/17.

— Tendo se mostrado nítido e intransponível o dissenso que se instaurou em torno do projeto e levando em consideração o fato de que, mantido o trâmite do projeto de lei EM 057/17 a ser submetido ao crivo do plenário, cumpro com o meu dever legal preconizado no Plano Diretor deste Município, qual seja, o de buscar a atualização da Planta Genérica de Valores Imobiliária, solicito a retirada e devolução do Projeto de Lei Complementar EM 005/17 — diz Galileu no ofício.

A informação foi dada no apagar das luzes da reunião ordinária de ontem pelo vereador Marcos Vinícius (Pros). Segundo ele, serão mantidas as atuais alíquotas de 1%, 3% e 4%. A proposta era reduzir para 0,30% e 0,40%. 

Marcos Vinícius disse que ainda ontem iria à Prefeitura conversar com Galileu para tentar entender a jogada.

— A explicação não nos foi dada ainda e até nos surpreende porque, até então, essa discussão que já dura há alguns meses é de que seria a revisão da planta genérica, dos imóveis, conjuntamente com as alíquotas, no caso as reduzindo — disse, acrescentando achar "complicado" desvincular os projetos.

— Acho pouco provável que ele mantenha as alíquotas praticadas em 2017 — comentou.

Agenda

Após meses em discussão no Legislativo, o reajuste será votado hoje, em reunião extraordinária marcada para as 9h. Pela internet, movimentos contrários à aprovação se organizam para comparecer e protestar.

Comentários
×