A lista

Leila Rodrigues

Viaje no tempo, relembre seus momentos difíceis e faça uma lista das pessoas que te ajudaram em sua vida. Provavelmente com muitas delas você não convive mais. Se proponha a procurá-las e dizer a cada uma delas o quanto elas foram importantes para você. Agradeça por terem cruzado o seu caminho e siga em frente.

Faça uma lista das pessoas difíceis que cruzaram o seu caminho. Aquelas que te fizeram gastar todo seu estoque de paciência e tolerância. Reconheça o quanto elas foram importantes na sua evolução e dê a elas um bom lugar na sua história. Liberte-as e siga em frente, desta vez mais livre e mais leve.

Faça uma lista das pessoas que você ama, não deve ser tão difícil assim! O tamanho da lista não é importante. A intensidade dos sentimentos, sim. Diante da lista dos seus verdadeiros amores, perceba como você vivencia este amor. Como você se manifesta, como você ama realmente. E finalmente se pergunte se o seu amor faz estas pessoas melhores. De que vale amar se não for para melhorar o outro?

Faça uma lista dos seus verdadeiros amigos. Aqueles capazes de conviver com suas tristezas e com as suas vitórias. Convide-os para um café, um jantar ou minuto de boa prosa. Não há nada mais rejuvenescedor que isso.

Faça uma lista dos brinquedos que você gostava quando criança, relembre o quanto você se divertiu com cada um deles. E conte essa história para alguma criança de sua convivência. Você estará colaborando com a história e fortalecendo as raízes culturais do seu país.

Faça uma lista das músicas que te fazem bem. Grave-as e dê um jeito de ouvi-las todos os dias. Cante, assobie, relembre as letras. Dance se gostar. Crie mais e mais listas musicais para momentos diferentes da sua vida. A música é a terapia mais fácil de se fazer. Aproveite também para listar os livros que você quer ler ou os filmes que você sempre quis assistir e nunca achou tempo.

Faça uma lista dos lugares que você gostaria de conhecer e comece agora a se programar para cumprir o seu roteiro. A vida é curta demais para devolvermos nossos sonhos ao vento.

Faça uma lista das suas fraquezas, aquelas que você silenciosamente envergonha-se de possuir. Aceite-se assim! E se proponha a melhorar, a promover a sua evolução neste pequeno espaço de tempo que você tem chamado existência.

E por fim, se você não resistir à vontade de fazer uma lista com os defeitos alheios, faça-a na areia, bem perto das ondas.

Comentários
×