A estrela

Preto no Branco

Muita gente, certamente, não imaginava que viveria para ver uma vacina ser tratada uma estrela em cada lugarejo que compõe este mundo. O tratamento vip, antes visto em países que começaram bem antes, à aplicação do imunizante contra o coronavírus se repetiu de domingo até ontem no Brasil. Em cada cidade que chegou, quando não foi escoltada pela Polícia Federal (PF), que seja em carros ou aeronaves, teve a vigília de polícias especializadas, como o Batalhão de Choque da PM.  Em Divinópolis, não foi diferente, o policiamento reforçado foi do itinerário do caminhão que trouxe as doses, no descarregamento, a estadia delas da Superintendência Regional de Saúde (SRS). Quem não sabia do que se tratava, chegou a pensar que fosse uma autoridade importante, como o presidente da República. Aliás, aparato só visto em visitas deste calibre.  O temor é que a carga fosse saqueada ou danificada. Acredite. Isso mesmo! 

Um troféu 

E a segurança não foi tudo. Houve alegria, comoção e muita gente não segurou as lágrimas. Destaque maior para os momentos em que se vacinava a primeira pessoa de cada estado ou de um município qualquer.  Teve quem tirou foto apenas com o frasco, e a sensação que se tinha era de que parecia um fã ao lado de um ídolo que esperou e sonhou por muito tempo por aquele momento. Cenas que, com certeza, vão entrar para história e marcar a vida de milhares de pessoas. Na verdade, já até marcou. 2020 foi um ano que, por mais que se passe o tempo, jamais será esquecido, seja por meio relatos de quem viveu a familiares que eram bebês, crianças ou ainda nem tinham nascido, ou por quem teve a iniciativa de deixar escrito. O que não faltará, no futuro, são livros relatando este período sombrio da história, visto que diversos autores se incubiram disso. Fora os registros dia e noite, domingos e feriados, da incansável imprensa, que, ao lado dos profissionais da saúde, se desdobrou para levar todas as informações à população em tempo real, à medida do possível. E se tem uma classe que merece também ser vacinada nas primeiras fases é esta. Não parou, foi onde precisava ir, incluindo hospitais, e continua firme e forte cumprindo o seu importante papel na sociedade. Porém, ainda à espera de reconhecimento. 

Apontar grupos 

Mesmo com grande cobertura da imprensa, ainda tem muita gente que não sabe quando receberá a vacina. Foi estabelecido o grupo prioritário que terá preferência e, apesar dos critérios obedecidos, o deputado estadual André Quintão (PT) diz que o Governo de Minas precisa publicar um decreto regulamentando os grupos com prioridade. Como autor da lei que obriga o Estado a oferecer vacina para toda a população, melhor que o deputado continue nesta linha para que o imunizante chegue a todos o mais rápido possível, apesar de que não depende dos comandos dos estados. Decreto informando público prioritário é desperdício de tempo e dinheiro neste momento em que existem outras prioridades mais urgentes. As pessoas podem estar questionando agora porque é muito recente, mas, em no máximo uma semana, estarão craques nas informações. A ocasião exige preocupar mais, ajudar mais e aparecer menos. 

Ainda uma parte 

A determinação prevê prioridade aos idosos, profissionais da saúde, quilombolas, indígenas, acautelados, servidores públicos que tenham contato com o público e outros grupos de risco para a covid-19 definidos em regulamento. No entanto, pelo menos em boa parte dos municípios de Minas Gerais, entre eles, Divinópolis, apenas os profissionais de saúde da linha de frente do coronavírus estão sendo imunizados. O restante da saúde e os outros grupos devem ficar para a segunda remessa, que ainda não tem data para acontecer, visto que também não há previsão de data para a chegada de novas doses. Porém, só de ter começado já é um avanço enorme. Que venham as próximas e não demore tanto. Caso contrário, é a ansiedade que vai matar o povo.

Comentários
×