A chegada da Festa Junina ao Brasil (Série)

Elmo Fernandes 

O começo da festa junina ao Brasil remonta ao século XVI. As festas juninas eram tradições bastante populares na Península Ibérica (Portugal e Espanha) e, por isso, foram trazidas para cá pelos portugueses durante a colonização, assim como muitas outras tradições. Quando introduzida no Brasil, a festa era conhecida como festa joanina, em referência a São João, mas, ao longo dos anos, teve o nome alterado para festa junina, em referência ao mês no qual ocorre, junho.

Inicialmente, a festa possuía uma forte tom religioso – conotação essa que se perdeu em parte, uma vez que é vista por muitos mais como uma festividade popular do que religiosa. Além disso, a evolução da festa junina no Brasil fez com que ela se associasse a símbolos típicos das zonas rurais.

O crescimento da festividade aconteceu sobretudo no Nordeste, região que atualmente possui as maiores festas. A maior festa junina do país acontece na cidade de Campina Grande, localizada no estado da Paraíba. Em 2017, a estimativa do evento era receber aproximadamente 2,5 milhões de pessoas.

Durante as festas juninas no Brasil, são realizadas danças típicas, como as quadrilhas. Também há produção de inúmeras comidas à base de milho e amendoim, como canjica, pamonha, pé de moleque, além de bebidas como o quentão. Outra característica muito comum é a de se vestir de caipira de maneira caricata.

 

REFLEXÃO DA SEMANA

Um dia, um jovem perguntou ao seu avô: "Meu avô, como puderam viver antes...

- sem tecnologia;

- sem internet;

- sem computadores;

- sem drones;

- sem bitcoins;

- sem celulares;

- sem redes sociais”.

 

O avô respondeu:

"Tal como grande massa desta geração vive hoje...

- sem orações;

- sem dignidade;

- sem compaixão;

- sem vergonha;

- sem honra;

- sem respeito;

- sem personalidade;

- sem caráter;

- sem amor próprio;

- sem modéstia;

- sem honra”.

 

Era assim:

 

Comentários
×