A campanha continua

Editorial

Desde que os políticos de Divinópolis descobriram as redes sociais, mais propriamente em 2016, a cidade vive em um estado de “campanha eleitoral eterna”, a todo vapor. Todo dia tem um vídeo diferente, uma denúncia diferente, um discurso diferente, tudo em busca incansável por palco. Se você abrir a sua rede social às 5h, pode ter certeza que terá alguma “novidade” lá. Seja um suposto hospital com vagas, uma obra abandonada, alguém falando da Copasa, da Prefeitura e por aí vai. A grande questão disso tudo é que, se os vídeos resolvessem os problemas da cidade, seria até tolerável, mas não, eles são apenas uma forma desesperada de os políticos divinopolitanos chamarem a atenção da população para si mesmos, e não trazem nenhum resultado efetivo para o município. 

É impossível enumerar centenas de vídeos gravados pelos políticos locais, e daria para se contar nos dedos aqueles que realmente deram resultado. Mas, como trabalhamos com fatos, vamos exemplificar um caso. O Hospital Público Regional Divino Espírito Santo é uma das últimas vítimas dos vídeos. Há pelo menos oito anos, políticos se juntam, ou sozinhos, e vão ao local fazer suas rotineiras gravações. Alguns falaram que iam resolver o problema, outros que iam cobrar do Governo do Estado a conclusão da obra, já outros chegaram a afirmar que a situação seria resolvida em breve e que, além de o hospital ser terminado, ele estaria em funcionamento em breve, um breve que já dura quase uma década. Pois bem, se vídeo resolvesse mesmo, de verdade, o Hospital Público estaria a todo vapor neste momento. Só que hoje, pouco mais de 30 dias depois das últimas gravações, junto com as promessas que foram feitas no local, a obra está do mesmo jeito. Parada! E sem expectativas reais de ter, minimante, uma parte transformada em hospital de campanha para atender pacientes com covid-19. 

Trata-se apenas de um exemplo básico. Mas há aqueles em que os políticos ainda acreditando que estão em campanha eleitoral fazem acusações estapafúrdias contra seus pares, contra o Executivo Municipal e Estadual, contra o Legislativo e vice-versa, e aí o “cabaré” está pronto. O mais triste é constatar que boa parte da população acredita nessas gravações e muitas vezes inerte não consegue cobrar de seus representantes não só que cumpram o papel que lhes cabe, mas que tragam resultados para a cidade. Afinal, como dizem por aí, “falar até papagaio fala”, mas fazer, aí já é outro negócio. Porém, ao que se percebe, o povo se acostumou com os políticos dando o mínimo, e nada que uma desculpa esfarrapada, ou um vídeo chorando não resolva, e é assim, nesse ritmo, que Divinópolis vai caminhando. 

O caminho que isso levará nós ainda não sabemos, e não ousamos tentar adivinhar. Contamos apenas com a esperança, a sorte e a fé, pois se tem uma coisa que sustenta essa cidade e o povo e pode contar é com si mesmo e a fé. Pois aqui, na Cidade do Divino, o que se pode afirmar de olhos fechados é que o povo é trabalhador e merece muito mais do que é “ofertado” atualmente por seus representantes. Até que o milagre aconteça, o jeito é sentar e esperar o próximo show, pois a campanha continua...

Comentários
×